Esportes

Homem com tatuagens nazistas é expulso de estádio pela torcida do Brasil-RS


Um torcedor do Brasil-RS, de Pelotas (RS), foi expulso do estádio Bento Freitas, que recebia o Novo Hamburgo, neste domingo, por ter tatuagens que remetiam ao nazismo: uma Cruz de Ferro, condecoração militar adotada pelo Terceiro Reich durante o regime nazista, e o lema “Mein Kampf”, título em alemão do livro “Minha Luta”, escrito por Adolf Hitler.

Imagens e vídeos do homem, sem camiseta e com as tatuagens expostas, circularam nesta tarde de segunda-feira, 14, nas redes sociais. A assessoria de imprensa do Brasil de Pelotas informou que o homem foi expulso do estádio por ação dos próprios torcedores. Ele precisou ser escoltado por policiais até sua saída com segurança do Bento Freitas. O clube informou ainda não saber a identidade do homem.

Em nota através de suas redes sociais, o Brasil de Pelotas se posicionou diante do ocorrido: “Graças a gerações de xavantes que ao longo de 110 anos nos trouxeram até aqui, o Brasil tem na própria história um instrumento contra qualquer discurso ou ato de discriminação.”

O clube também valorizou a força de sua torcida, responsável por expulsar o homem de suas arquibancadas. “É por essa consciência histórica que aqueles, que se sentem representados pelos discursos de ódio infelizmente cada vez mais comuns, são e sempre serão repelidos da Baixada. Quem diz isso não é só o clube, como instituição. É a nossa torcida, que sabe reconhecer ao longe quem não tem dignidade para se dizer Xavante”, concluiu a nota.

No Brasil, previsto no artigo 20, § 1º, da Lei 7.716/89, alterada pela Lei 9.459/97, “fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo.”

Ao final, a partida entre Brasil e Novo Hamburgo, válido pela primeira fase do Campeonato Gaúcho terminou com o empate, em 1 a 1, entre as equipes.