Saúde da mulher

Home office pode acelerar o envelhecimento precoce; saiba como evitar

Crédito: Unsplash

Desde o início da pandemia da Covid-19, muitas empresas aderiram ao home office e continuam seguindo esse formato, que divide opiniões entre os trabalhadores, mas veio para ficar, conforme indicam as pesquisas. Embora tenha alguns benefícios, como passar mais tempo em família e evitar o trânsito, por exemplo, ficar em casa também pode trazer consequências negativas, entre elas, o aceleramento do envelhecimento precoce.


+ Como evitar problemas de postura no seu local de trabalho

+ Ácido hialurônico: tudo o que você precisa saber antes de usar

“Em casa, o tempo de exposição aos computadores e outras telas aumenta. Os eletrônicos emitem luz visível, especialmente a luz azul, capaz de penetrar na pele de forma mais profunda que a ultravioleta, passando pela epiderme e derme até a camada subcutânea, causando flacidez e manchas. Além desses fatores, a multitarefa e a dificuldade da delimitação entre a vida profissional e pessoal (filhos, cônjuges e tarefas domésticas) aumentam os níveis de cortisol — o hormônio do estresse, capaz de liberar substâncias inflamatórias na pele, desencadeando: acne, piora do melasma, redução da produção de colágeno, entre outras proteínas essenciais”, explica a médica dermatologista Letícia Rautha.

Um dos maiores erros de quem está de home office é o descuido com a proteção UVA e UVB, afinal, os raios solares podem penetrar pela janela e refletir nas paredes, especialmente as brancas. Se o ambiente não exige necessidade de acender a luz durante o dia, é porque há irradiação solar e necessidade do uso de filtros, que também são aliados contra as luzes artificiais das telas. Fernanda Chauvin, especialista em dermatocosmética e CEO da Ellementti Dermocosméticos, explica que o ideal é apostar em protetor com cor, capaz de promover além da barreira química contra os raios solares, uma proteção física gerada pelo dióxido de titânio e óxido de zinco, que promovem maior proteção contra a luz azul.

Os cuidados podem ser aliados ao uso de outros produtos, como antioxidantes orais e tópicos encontrados nos cosméticos. “Um bom exemplo é a niacinamida tópica, um potente anti-inflamatório e excelente antioxidante, que pode ser aplicada no rosto pela manhã antes do filtro solar. Existem formulações com essa substância em produtos como sérum para todos os tipos de pele. Outro exemplo é o resveratrol, encontrado naturalmente nas uvas, que ajuda na proteção dos radicais livres gerados pela poluição, luz visível e azul, evitando o envelhecimento precoce e até mesmo o câncer de pele. Esse ativo pode ser ingerido de forma oral ou aplicado topicamente na pele através de cosméticos industrializados, ou manipulados”, indica a dermatologista.

Passar muito tempo em frente as telas também afeta a qualidade do sono, impactando na beleza da pele. Segundo Letícia Rautha, a exposição prolongada da luz azul no período noturno pode alterar o ritmo circadiano, reduzindo a produção da melanina — hormônio que promove o sono, podendo desencadear em insônia e, consequentemente, ao estresse oxidativo do organismo e ao envelhecimento precoce. O ideal é desligar as telas após as 21 horas e usar luz indireta amarela nos ambientes. A especialista ainda indica pingar algumas gotinhas de óleo essencial de lavanda no travesseiro ou mesmo nas têmporas, que pode ajudar o corpo a relaxar e diminuir os níveis de cortisol e radicais livre no organismo.

“Com a geladeira mais acessível, realizamos uma dieta mais rica em açúcares e farinha branca, considerados pró-inflamatórios, aumentando a geração de radicais livres e os famosos AGEs (Produtos de Glicação Avançada). Essas substâncias resultam em estresse oxidativo no nosso organismo, levando a degradação de várias proteínas como o colágeno”, reforça a médica. Portanto, assim como qualquer outro cuidado com a saúde, é essencial manter uma alimentação rica em vitaminas e minerais, capazes de influenciar no aspecto da pele, atuando nos níveis de inflamações corporais e favorecendo a produção de colágeno, conforme também esclarece Fernanda Chauvin. Os hábitos saudáveis incluem a prática de atividades físicas pelo menos três vezes por semana.

O home office requer mais atenção, porém pode ser um ótimo momento para manter o autocuidado. Prepare seu cantinho favorito de casa e foque nas necessidades de seu corpo, mente e pele. Mantenha uma rotina de skincare com foco em higienização, hidratação, proteção e cuidados noturnos, conforme indicam as especialistas.