Comportamento

H&M rompe com fornecedor chinês por acusações de “trabalho forçado”

H&M rompe com fornecedor chinês por acusações de “trabalho forçado”

A gigante sueca da moda H&M anunciou nesta terça-feira (15) que estava rompendo relações com um produtor chinês por alegações de “trabalho forçado” envolvendo a minoria uigur na província chinesa de Xinjiang.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

A empresa disse que não trabalharia com nenhum fabricante de roupas da região e que eles não comprariam mais algodão de Xinjiang (noroeste), que é a maior área de produção do material na China.

Um relatório do Instituto Australiano de Polícia Estratégica (ASPI), publicado em março, apontou a H&M como uma das beneficiárias do programa de trabalho forçado por meio de seu relacionamento com a fabricante de fios tingidos Huafu, que possui uma fábrica na província de Anhui (leste da China).

A H&M disse em um comunicado que não tinha nenhuma relação com a fábrica de Anhui, nem com as operações da Huafu em Xinjiang.

Mesmo assim, o grupo sueco reconheceu que tinha uma “relação comercial indireta com uma fábrica” localizada em Shangyu, na província de Zhejiang (sul), que pertence à Huafu Fashion.

“Embora não haja nenhum sinal de trabalho forçado nesta fábrica de Shangyu, [e] na espera de ter mais informações sobre essas acusações de trabalho forçado, decidimos encerrar este relacionamento comercial com Huafu Fashion Co, independentemente da situação e da especialidade, nos próximos 12 meses”, acrescentou.

O grupo afirma que fará “uma investigação em todas as fábricas de roupas com as quais trabalha na China”.

Os uigures, minoria muçulmana que fala turco, constituem o principal grupo étnico de Xinjiang, uma imensa região que faz fronteira com o Afeganistão e o Paquistão.

Os países ocidentais e várias organizações internacionais acusam Pequim de perpetrar uma perseguição em grande escala contra os uigures e de ter internado arbitrariamente mais de um milhão de muçulmanos de Xinjiang em campos de reeducação.

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea