Geral

HFB confirma terceira morte e bombeiros fazem rescaldo do incêndio

O Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), na zona norte do Rio de Janeiro, confirmou a morte de mais um paciente após o incêndio que atingiu o Prédio 1 da unidade na manhã desta terça-feira (27).

Ontem foi confirmada a morte de duas pacientes graves que estavam internadas no centro de terapia intensiva (CTI), uma delas com covid-19. Não há mais informações sobre a morte confirmada hoje.

Segundo a Superintendência Estadual do Ministério da Saúde, 179 pacientes foram transferidos, 37 receberam alta e 11 ainda aguardam transferência. Em nota, o Ministério da Saúde diz que se solidariza com as famílias e que “não vai medir esforços para garantir a segurança e saúde dos pacientes, profissionais de saúde e funcionários da instituição”.

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro informou que cerca de 40 militares continuam trabalhando no local, para fazer o rescaldo. “Além de viaturas de combate, a corporação disponibilizou ambulâncias para atendimento e transferência de pacientes. Ao todo, foram mais de 120 militares, de 13 quartéis, envolvidos na operação.”

Técnicos da Defesa Civil municipal aguardam a liberação do local pelo Corpo de Bombeiros para iniciar a vistoria do risco estrutural do imóvel.

A Polícia Federal informa que foi instaurado inquérito policial para apurar as circunstâncias do fato e diz que não comenta as investigações em andamento.

Notificação

Em setembro do ano passado, a Defensoria Pública da União (DPU) no Rio de Janeiro pediu uma vistoria do Corpo de Bombeiros no Hospital de Bonsucesso, com base em informações sobre problemas estruturais apontados em relatório do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS.

“Foi constatada ausência de licença e de plano de prevenção e combate a incêndio aprovado pelo Corpo de Bombeiros, além da inexistência de sistemas de detecção de fumaça e sprinklers [dispositivos usados no combate a incêndios]. Foram encontrados também hidrantes desativados com mangueiras danificadas e sem qualificação para uso”, informou a DPU.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a vistoria foi feita na época e um relatório foi enviado para a Defensoria Pública. “Estar em conformidade com as medidas de segurança é uma obrigação dos responsáveis pelas edificações”, destacou a corporação nesta quarta-feira. O Corpo de Bombeiros diz que emitiu notificações e autos de infração à administração do HFB, os dois últimos em março e agosto deste ano.

O Ministério da Saúde não respondeu sobre a vistoria e adequação às normas.

A reportagem entrou em contato com o HFB e aguarda retorno sobre as notificações do Corpo de Bombeiros.

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Idoso morre após dormir ao volante e capotar veículo em Douradoquara; neto ficou ferido
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel