Esportes

Hélio Meirelles e Robson Caetano anunciam propostas para o COB

Presidente da Confederação de Pentatlo Moderno e medalhista olímpico no atletismo lideram a chapa Vem Ser. Dupla fala em 'transparência e participação' como pilares

Hélio Meirelles e Robson Caetano anunciam propostas para o COB

Presidente da Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno (CBPM), o engenheiro químico Hélio Meirelles anunciou o plano de governo e suas propostas para a gestão do Comitê Olímpico do Brasil (COB), que terá eleições no dia 7 de outubro. Ele lidera a chapa Vem Ser, ao lado de Róbson Caetano, medalhista olímpico, tricampeão da Copa do Mundo nos 200m rasos do atletismo e profissional de Educação Física, que é candidato a vice.

A dupla afirma que a chapa terá como pilares “transparência total e participação de todos os setores do esporte olímpico do Brasil”.

O plano de governo conta com 40 pontos principais, sendo 20 relativos diretamente a questões de gestão e governança, e outros 20 sobre questões técnicas. Há um detalhamento sobre as ações que vão ser executadas nos cem primeiros dias da gestão. O planejamento para os Jogos Olímpicos de Tóquio, inclusive no que diz respeito aos líderes do projeto, não terá nenhuma modificação, a não ser em caso de solicitação direta da Comissão de Atletas.

De acordo com os pilares estabelecidos na chapa, que tem o apoio de cinco confederações logo na largada – levantamento de peso, pentatlo moderno, remo, tênis de mesa e tiro esportivo –, a transparência na destinação dos recursos e a participação de todos os setores, desde o planejamento estratégico da entidade, vão nortear a gestão.

– O planejamento estratégico do COB, que hoje é feito internamente e só é validado em Assembleia, passará a ter a efetiva participação das Confederações e da Comissão de Atletas do COB, desde a sua fase inicial de elaboração. Vamos trazer especialistas do Comitê Olímpico Internacional para dar palestras, com o objetivo de trazer maiores subsídios a todos. Além disso, vamos incentivar a participação de membros das comissões de atletas na definição e fechamento do orçamento anual das suas Confederações – afirmou Hélio Meirelles, que promete presença bem maior das mulheres na gestão, além de maior proximidade com as Forças Armadas, no programa de apoio aos atletas de alto rendimento e em programas sociais.

Além disso, a chapa propõe uma revisão de departamentos e da estrutura organizacional do COB, de maneira que a entidade possa ter sustentabilidade econômica, e a criação de um ambiente positivo de negócios.

– A área de marketing será fortalecida. Queremos fazer eventos em conjunto com as confederações. O Rock in Rio utiliza o Parque Olímpico para fazer um grande festival e nós, do esporte, não conseguimos nos organizar para aproveitar o local para fazer um grande festival esportivo – compara Hélio.

A formação de atletas e treinadores também é citada no plano. A reserva de um percentual específico do orçamento para o investimento massivo em ciência, tecnologia e recursos humanos, especialmente na atualização permanente dos treinadores, está destacada como um dos pontos de atenção. Além disso, a dupla promete, caso eleita, criar uma Diretoria de Desenvolvimento, separando-a da Diretoria de Esportes. A nova área ficaria dedicada permanentemente aos atletas em desenvolvimento, focando na construção de projetos integrados voltados para a formação de atletas.

Outra questão abordada pela chapa é a formação dos nossos atletas para a sociedade.

– Vamos atuar no desenvolvimento de atletas no âmbito social e educacional. Também vamos dar um suporte especial aos atletas em fim de carreira e ex-atletas – explica Róbson Caetano.

Hélio Meirelles tem 68 anos. É graduado em Engenharia Química e Economia, pós-graduado em Engenharia Petroquímica, Engenharia Econômica e Administração de Negócios, com capacitação em Planejamento Estratégico. Preside a Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno desde 2002 e já participou da diretoria de grandes empresas públicas e privadas, como o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), o Pólo de Biotecnologia do Rio de Janeiro, a Petrobras Química S.A. (Petroquisa) e foi secretário de Indústria, Comércio e Turismo do Rio de Janeiro. Sua paixão são as corridas de longa distância: participou de 14 maratonas e 14 meias maratonas internacionais e 6 São Silvestres.

Róbson Caetano tem 56 anos e é um dos grandes nomes da história do atletismo brasileiro. Foi medalhista de bronze nas Olimpíadas de Seul-1988 (200m rasos) e Atlanta-1996 (revezamento 4x100m). Especialista nos 200m rasos, venceu a Copa do Mundo em três oportunidades: 1985, 1989 e 1992. Fora das pistas, se graduou em Educação Física, com especialidade em Gestão Esportiva. Atuou como comentaristas nas últimas cinco Olimpíadas (2000, 2004, 2008, 2012 e 2016), e nos Jogos Pan-Americanos de 1999, 2003, 2007, 2011 e 2015. Já participou de quadros e programas de televisão, como a Dança dos Famosos (campeão, em 2006) e A Fazenda.

Outras duas chapas concorrerão na eleição do COB. Paulo Wanderley tentará a reeleição com o vice Marco La Porta, e o presidente da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Rafael Westrupp, concorrerá tendo como vice o campeão olímpico Emanuel.

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Pudim japonês não tem leite condensado; aprenda a fazer

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ Mulher sobe de salto alto montanha de 4 mil metros

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ Vídeo do TikTok com mulher sendo empurrada de ônibus viraliza; veja

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar