Comportamento

Harry e Meghan se demitem da coroa britânica

O príncipe e a duquesa de Sussex renunciam aos privilégios e obrigações reais e dizem que vão seguir suas vidas com independência nos Estados Unidos, para horror da rainha

Crédito: Toby Melville - Pool/Getty Images

CENAS DE CASAMENTO Em 25 de setembro de 2019, Meghan e Harry com o filho, Archibald Harrison Mountbatten-Windsor, sétimo na sucessão da coroa britânica e oitavo bisneto da rainha Elizabeth II (Crédito: Toby Melville - Pool/Getty Images)

Não é todo dia que um príncipe e sua consorte pedem demissão de um torno, especialmente o britânico, o mais poderoso da Europa. Na quarta-feira 8, o mundo se surpreendeu com um capítulo inédito do conto de fadas mais popular da atualidade. O príncipe Harry, de 35 anos, e a mulher, a atriz americana Meghan Markle, de 38 — duque e duquesa de Sussex — anunciaram que vão se desligar das obrigações e de alguns privilégios concedidos pela rainha do Reino Unido, Elizabeth II, avó de Henry, também conhecido como Henrique de Windsor. O objetivo do casal mais exposto aos paparazzi e à cobertura dos sites e tabloides do planeta é conquistar a independência financeira.

Harry desfila em carro aberto com Meghan Markle, rumo ao castelo de Windsor, em 19 de maio de 2018 (Crédito:Victoria JONES / POOL / AFP)

“Depois de muitos meses de reflexão e discussões privadas, optamos por fazer uma transição neste ano, começando por desempenhar um papel mais progressista dentro da instituição”, afirma o casal, em comunicado público, pelas redes sociais. “Pretendemos renunciar como membros da Família Real e trabalhar para nos tornarmos financeiramente indepedentes, enquanto continuamos a apoiar totalmente Sua Majestade, a Rainha”. Leia-se: eles prometem exercer alguma funções junto à coroa, como tomar parte de obras de caridade e viajar ao estrangeiro em missão especial, “às vezes, em nome da rainha”.

Harry e Meghan disseram que pretendem passar mais tempo nos Estados Unidos. O casal acredita que o filho, Archie (Archibald Harrison Mountbatten-Windsor), de 8 meses, terá um ambiente mais saudável ao circular pelos dois universos culturais de suas famílias ­­­— a mãe de Meghan é afroamericana. Archie ocupa o sétimo posto na linha de sucessão ao trono britânico, assim como Harry é o sexto, e só um decreto do Parlamento poderia tirá-los do páreo. Nem um nem outro deverá renunciar a seus direitos, embora percam pontos no ranking geral para os duques de Cambridge, o príncipe William e a mulher, Kate Middleton. Além disso, o casal afirma que conta com o apoio e o incentivo da rainha.

“Compreendemos o desejo deles de tomar um rumo diferente, mas esses são assuntos complicados que devem levar algum tempo para serem resolvidos” Elizabeth II, rainha da Inglaterra, em comunicado oficial (Crédito: Steve Parsons - WPA Pool/Getty Images)

Segundo a agência Reuters, isso não é bem verdade. Tanto Elizabeth II como o príncipe Charles ficaram surpresos e chateados em relação à novidade, divulgada de maneira não oficial e sem prévia consulta. O Palácio de Buckingham se apressou em divulgar, na quarta-feira mesmo, um boletim oficial discreto em nome da rainha, afirmando que o processo poderá demorar mais do que o casal deseja. “Compreendemos o desejo deles de tomar um rumo diferente, mas esses são assuntos complicados que devem levar algum tempo para serem resolvidos”, diz o texto. Segundo o porta-voz do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a decisão “é uma questão da família real”.

No embalo do “megxit”

Mas a questão se tornou mundial. A notícia viralizou, chegou aos trending topics do Twitter e inspirou os youtubers e influencers a forjarem um termo para explicar a situação: “megxit”, ou seja, o sonhado afastamento de Meghan do círculo real, que ela considera tóxico. Desde que se casou com Harry, em 2018, Meghan tem tido atritos com a rainha e familiares, principalmente com o príncipe William e a mulher, Kate Middlelton, duquesa de Cambridge. No início do namoro de Harry e Meghan, os dois casais formam chamados pela imprensa de “Fab Four”, os Quatro Fabulosos, em referência ao apelido dos Beatles. Mas a relação azedou. Kate passou a criticar o comportamento de Meghan, habituada ao estrelismo de Los Angeles, onde fez fama com a séries de TV “Suits” e o filme “Quero matar meu chefe”. Em vez de manter o decoro tradicional, observado à risca por Kate, Meghan costuma tratar a criadagem com despotismo e reclamar aos gritos de tudo, do cardápio dos jantares às instalações dos palácios. Chegou a afirmar que o castelo de Windsor cheirava a esgoto e, por isso, ordenou que a Capela de São Jorge, onde se casou, fosse perfumada com aerosol. Agora, com o “megxit”, ela poderá levar marido e filho para os ambientes mais aromatizados de Hollywood.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ 10 coisas que os pais fazem em público que envergonham os filhos
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel