Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

ROMA, 30 JUN (ANSA) – O piloto britânico Lewis Hamilton voltou a se posicionar contra a declaração do ex-piloto Nelson Piquet, que o chamou de “neguinho” em uma entrevista em 2021, e criticou o que classificou de “mentalidade arcaicas”.   

“Eu tenho sido alvo de racismo e narrativas negativas e arcaicas e tons de discriminação. Não sei por que continuamos a dar uma plataforma a essas pessoas mais velhas. Eles estão falando sobre o esporte, mas estamos procurando ir em uma direção diferente. É a imagem maior. Agora é uma reação imediata de empresas de todo o mundo”, declarou ele durante coletiva de imprensa em Silverstone.   

O piloto da Mercedes pediu que “ações reais” sejam colocadas em prática, apesar da F1, FIA e até sua escuderia prestarem apoio após o caso ganhar repercussão mundial.   

“Provavelmente, todos eles já têm um roteiro pronto para esse gerenciamento de crise. Não é suficiente. Agora é sobre ação real. Essas vozes antigas concordam subconscientemente ou conscientemente que pessoas como eu não deveriam estar no esporte. Precisamos mais do que nunca unir as pessoas. Não ajudam os comentários que estamos vendo dessas pessoas”, enfatizou.   

Hamilton ainda agradeceu “todos aqueles que apoiaram o esporte, principalmente os pilotos” e lembrou que já se passaram dois anos desde que o dia em que ajoelharam na Áustria contra o racismo.   

“Sou grato a todos aqueles na Fórmula 1 que me mostraram seu apoio. Os desafios que enfrentamos ainda são muitos. Uma F1 que olha para a África do Sul, por exemplo. E devemos dar aos jovens uma plataforma diferente e não é apenas um caso de uma pessoa. A reação foi instintiva e imediata, mas realmente precisamos começar a agir. Você não deve dar espaço a essas pessoas”, acrescentou.   

Segundo Hamilton, “somos todos iguais” e “devemos unir as pessoas”. “Estou aqui, ainda forte, focado no meu trabalho. E pressiono pela diversidade e inclusão neste esporte, para assinar um documento que mostre um compromisso concreto. Espero que um primeiro passo tenha sido dado. Mas preciso da ajuda de todos”, ressaltou ele.   

Caso – Esta é mais uma reação do heptacampeão da Fórmula 1 aos comentários racistas feitos pelo ex-piloto Nelson Piquet em uma entrevista sobre o acidente entre o britânico e Max Verstappen, que atualmente é seu genro, no Grande Prêmio da Inglaterra do ano passado. O vídeo foi gravado em novembro de 2021, mas só viralizou no último fim de semana.   

Hamilton, único piloto negro na Fórmula 1, criou em 2019 a “The Hamilton Commission” em parceria com a Royal Academy of Engineering do Reino Unido para estudar e incentivar a inclusão de jovens pretos e pertencentes a minorias no mundo do esporte a motor.   

O piloto britânico tem se tornando cada vez mais uma voz ativa na luta antirracista e de direitos de minorias. (ANSA)