Esportes

Hamilton diz não estar 100% recuperado da covid-19 e relata incômodo nos pulmões

Em sua primeira sessão classificatória na Fórmula 1 desde que se recuperou da covid-19, Lewis Hamilton não repetiu as ótimas exibições apresentadas ao longo da temporada e terminou em terceiro neste sábado. O heptacampeão mundial reconheceu que não está 100% fisicamente e que ainda sente sequelas do coronavírus.

No treino classificatório para o GP de Abu Dabi, nos Emirados Árabes, Hamilton ficou atrás do companheiro Valtteri Bottas, o segundo, e do pole Max Verstappen, da Red Bull. O britânico da Mercedes relatou um incômodo em seus pulmões, mas disse que não perderia a corrida por nada. Ele testou negativo na última quinta-feira e foi liberado para correr.

“Não estou 100%, pois ainda sinto algo nos pulmões”, revelou. “Ainda assim, eu pilotaria mesmo com um braço pendurado, é o que fazemos enquanto pilotos. Definitivamente não será a mais fácil das corridas, do ponto de vista físico, mas vou tentar dar tudo que tenho”, acrescentou o pilotos da Mercedes.

“O vírus afeta a energia em geral. Um dos sintomas é que realmente te esgota. Eu tentei dormir o máximo que pude, mas recarregar as baterias não é tão fácil quanto normalmente seria. Perdi bastante peso na última semana, então como disse, não estou 100% em relação à última corrida que disputei, mas isso não me impedirá, de forma alguma, de dar o meu melhor amanhã”, completou.

O britânico voltou a alertar para a necessidade de encarar o coronavírus com seriedade e afirmou que pôde compreender a capacidade destrutiva da doença.


+ Rapper implanta diamante de R$ 128 milhões no rosto
+ PR: Jovem desaparecida é encontrada morta; namorado confessa crime
+ Galo bota ovos e surpreende moradores de Santa Catarina

“Sou apenas grato por estar de volta e, ainda que não 100%, ainda dei tudo que tinha. Eu não quero entrar em detalhes, mas como eu disse na Austrália (no início da temporada antes do GP de abertura ser cancelado) isso mostra o quão sério é o vírus. Eu sinto muito por aqueles que sofreram com isso, que perderam entes queridos, porque agora consigo compreender a força do vírus”, observou.

Além das sequelas causadas pela covid-19, Hamilton explicou que vem sofrendo para encontrar o equilíbrio do seu carro durante o fim de semana no circuito de Yas Marina. “Definitivamente tem sido um fim de semana complicado. Voltar ao ritmo, ainda que tenha passado apenas duas semanas, é difícil. Tenho sofrido com o equilíbrio do carro neste fim de semana”, ressaltou.

Campeão antecipadamente, Hamilton busca neste domingo a 12ª vitória na temporada, totalmente dominada pelo piloto da Mercedes, e a 96ª na Fórmula 1. Dessa vez, não largará na pole, mas confia que pode reverter a situação mesmo em um circuito difícil de conseguir ultrapassagens e terminar em primeiro pela sexta vez em Abu Dabi.

“Claro que é sempre bom largar da pole, mas nem sempre é possível, e isso torna tudo ainda mais divertido. É uma pista com certa dificuldade para fazer ultrapassagens, mas com estratégia e tudo mais, acho que podemos conseguir. A largada será importante e eu estou animado para entender como poderei virar esse jogo”, concluiu.

v

Veja também

+ Aprenda a preparar o delicioso espaguete a carbonara
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ Cientistas desvendam mistério das crateras gigantes da Sibéria
+ Sexo: saiba qual é a melhor posição de acordo com o seu signo
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Os 4 signos mais psicopatas do zodíaco
+ Cataratas do Niágara congelam e as imagens são incríveis
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Editora estreia com o romance La Cucina, uma aventura gastronômia e erótica