Saúde da mulher

Guia rápido de zonas erógenas inusitadas e como as estimular para intensificar o orgasmo

Crédito: Unsplash

O prazer vai além das genitálias, afinal, existem diferentes zonas erógenas que podem (devem) ser exploradas por aquelas que desejam ter novas e intensas experiências sexuais. Estimular essas áreas aumenta a sensibilidade, favorece as fantasias sexuais e estimula a excitação e o orgasmo, diz a especialista em sexo e relacionamento Annabelle Knight. As informações são da “Woman & Home”.  

+ 5 fantasias sexuais mais comuns e como praticá-las


+ 6 curiosidades sobre o clitóris 

O corpo humano é composto por 25 zonas erógenas que estão interligadas. No entanto, isso não significa que todas as pessoas têm a mesma excitação sexual quando estimuladas em áreas comuns. 

“Embora algumas mulheres possam responder à estimulação de todas as 25 zonas erógenas, outras responderão a menos”, explica Knight. Portanto, conhecer essas regiões é essencial para te dar liberdade de explorá-las, se autoconhecer e se permitir viver experiencias sexuais mais intensas. 

Confira a seguir quais são as zonas erógenas além das partes óbvias do corpo — seios, mamilos, clitóris e ponto G — e saiba como as estimular, segundo especialistas:

Umbigo

O umbigo é uma zona erógena intensa. “Estar perto dos órgãos genitais, torna essa área especialmente excitante”, reforça a especialista, que indica o uso de uma pena para explorar a região.

Clavícula

“A clavícula é uma parte super sensível do corpo da mulher. A pele nessa área é muito fina, logo, fazer toques sutis pode dar sensação de prazer intenso”, indica a especialista em relacionamentos Kate Moyle.

Pés e tornozelos

Segundo Knight, os pontos de pressão na sola dos pés podem aumentar o fluxo sanguíneo e a sensação de excitação quando tocados da maneira certa. Essa é uma região que costuma ser mais particular ao toque, por isso, é importante descobrir onde e como você ou seu parceiro(a) gosta de ser estimulada.

Já os tornozelos (parte interna e externa) são ponto de pressão para o orgasmo, pois possuem muitas terminações nervosas que correspondem diretamente à vagina. No entanto, enquanto algumas pessoas respondem ao toque firme, outras podem sentir leve desconforto.

Parte interna das coxas

A parte interna das coxas concentra terminações nervosas ao redor da vagina e do clitóris, logo, é uma ótima opção para experimentar durante a masturbação feminina.

“Os vibradores podem ser usados ​​em todo o corpo, especialmente para provocar as coxas, em vez de apenas focar nos órgãos genitais”, declara Moyle. Ela recomenda passar o brinquedo erótico por todo o corpo (sozinha ou com ajuda do parceiro) e em seguida focar na parte interna das coxas até que aumente a excitação e, consequentemente, a lubrificação.

Orelhas

Devido à pele sensível da região e centenas de receptores sensoriais internos, as orelhas também são zonas erógena.

Annabelle Knight recomenda explorar a região com beijos, lambidas e mordidas leves nos lóbulos. “Seu parceiro(a) também pode tirar proveito desses receptores sensoriais sussurrando ou soprando levemente em seus ouvidos”, acrescenta.

Inferior das costas

Os nervos na parte inferior das costas estão conectados à pelve, tornando a área extremamente sensível. Para estimular, a especialista indica usar uma pena, um pedaço de veludo, cubos de gelo ou até mesmo soprar levemente pela região.