Farol ISTOÉ

Guedes quer “assaltar” bolso do brasileiro

Crédito: AFP

O ministro da Economia, Paulo Guedes, é o verdadeiro lobo vestido de carneirinho. No início, disse que queria tomar medidas liberais, desonerar as empresas, facilitar a vida dos empresários, não criar novos impostos e gerar mais empregos. Até agora, não destravou a economia, que este ano deve crescer só 0,8% – menos do que no governo Temer – e já prepara-se para estabelecer um novo tributo. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o ministro disse que está convencido de que precisa do novo imposto, taxando todos os que fazem movimentações financeiras. O novo “assalto” ao bolso do consumidor vai se chamar Imposto sobre Transações Financeiras, o ITF. Ele é similar à famigerada CPMF (Contribuição Provisória de Movimentações Financeiras), criada no governo Itamar, que perdurou durante o governo de Fernando Henrique e só acabou no governo Lula, mesmo assim à contragosto do petista. Guedes sugere que o novo imposto parte de 0,2% do que as pessoas movimentem no sistema financeiro, mas dá a entender que a tarifa também pode chegar a 0,4%. Ou seja, quando o cidadão saca R$ 100 no banco, ele paga um imposto de R$ 0,20 a R$ 0,40 centavos. Parece pouco, mas é uma enormidade para quem ganha pouco. O pior é o destino que Guedes vai dar ao dinheiro: alimentar a máquina governamental, que é corrupta e ineficiente.