GT dos Jogos de azar na Câmara tem diferentes apostas para setor

Grupo vai decidir qual modelo Brasil pode ter, caso projetos avancem no Congresso

Crédito: Divulgação/ PCSP

(Crédito: Divulgação/ PCSP)


Nasce dividido o Grupo de Trabalho criado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para avaliar projetos de legalização dos jogos sobre o modelo a ser aprovado – embora todos trabalhem pela legalização.

Existem parlamentares que defendem a legalização dos cassinos urbanos e turísticos; outros, apenas os resorts integrados com cassinos; e há os que acreditam que o mais adequado é a legalização de todas modalidades de jogos como bingo, videojogo ou BR1, ‘jogo do bicho’ e jogos online.

Hoje, os jogos online – com mercado bilionário e em ascensão no Brasil – são controlados em sua maioria por sites de apostas hospedados em provedores no exterior , nas mãos de investidores estrangeiros. O Governo já aprovou lei para este tipo de negócio no Brasil, mas falta regulamentar o setor, e há uma fila de brasileiros à espera para concorrer com os gigantes estrangeiros que atuam aqui.

O lobby por cassinos em resorts estava forte no Congresso Nacional até a morte de Sheldon Adelson, o magnata do setor nos Estados Unidos e Ásia. Ele chegou a visitar parlamentares no Brasil, ano passado. A sua morte recente fez com que o tema voltasse a ser debatido a volta também dos bingos – um setor que estava esquecido na abordagem congressual.

Veja também
+Deolane Bezerra, viúva de MC Kevin, revela que fez cirurgia na vagina
+ Vídeos mostram pessoas preparando saladas com Cheetos no TikTok
+ Mulher e filho de Schumacher falam sobre saúde do ex-piloto
+ Carvão “gourmet” que não suja as mãos vira meme nas rede sociais; ouça
+ Mãe encontra filho de 2 anos morto com bilhete ao lado ao chegar em casa
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

Tópicos

jogos de azar

Sobre o autor

Leandro Mazzini começou a carreira jornalística em 1996. É graduado em Comunicação Social pela FACHA, do Rio de Janeiro, e pós-graduado em Ciência Política pela UnB. A partir de 2000, passou por ‘Jornal do Brasil’, ‘Agência Rio de Notícias’, ‘Correio do Brasil’, ‘Gazeta Mercantil’ e outros veículos. Assinou o Informe JB de 2007 a 2011, e também foi colunista da Gazeta. Entre 2009 e 2014 apresentou os programas ‘Frente a Frente’ e ‘Tribuna Independente’ (ao vivo) na REDEVIDA de Televisão, em rede, foi comentarista político do telejornal da Vida, na mesma emissora e foi comentarista da Rede Mais/Record TV em MG. Em 2011, lançou a ‘Coluna Esplanada’, reproduzida hoje em mais de 50 jornais de 25 capitais e interior Foi colunista dos portais ‘UOL’ e ‘iG’ desde então, e agora escreve no blog que leva seu sobrenome no portal da ‘Revista Isto É’, onde conta com o trabalho dos jornalistas Walmor Parente e Carolina Freitas e correspondentes no Rio e Recife. É também comentarista das rádios ‘JK FM’ em Brasília, ‘Super TUPI’, do Rio, e ‘Rádio Muriaé’.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.