Mundo

GSK diz que teste mostra que coquetel de anticorpos funciona contra Ômicron

GSK diz que teste mostra que coquetel de anticorpos funciona contra Ômicron

Logo da farmacêutica GSK em Cingapura


Por Ludwig Burger

(Reuters) – Análises de laboratório da terapia de anticorpos contra Covid-19 que a GlaxoSmithKline (GSK) está desenvolvendo com a parceira norte-americana Vir indicam que o remédio é eficaz contra a nova variante Ômicron do coronavírus, anunciou a farmacêutica britânica nesta quinta-feira.

Um comunicado da GSK disse que testes laboratoriais e um estudo com hamsters demonstraram que o coquetel de anticorpos sotrovimab funciona contra vírus que foram criados com bioengenharia para transportar várias mutações características da Ômicron.

Os testes continuam para confirmar os resultados contra todas as mutações da Ômicron e uma atualização é esperada até o final do ano, acrescentou o comunicado.

Os anticorpos são concebidos para se prenderem à proteína spike na superfície do coronavírus, mas se descobriu que a Ômicron tem uma quantidade anormalmente alta de mutações nesta proteína.

“O sotrovimab foi criado deliberadamente com um vírus mutante em mente”, disse o presidente-executivo da Vir, George Scangos, acrescentando que o medicamento está visando uma região da proteína spike que muito dificilmente passa por mutações.

Separadamente, a agência regulatória de medicamentos do Reino Unido aprovou nesta quinta-feira o sotrovimab, também conhecido pelo nome comercial Xevudy, para pessoas com casos de Covid-19 entre brandos e moderados que correm risco alto de desenvolver uma doença grave.

A Agência Regulatória de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA) recomendou o uso do Xevudy o mais cedo possível e até cinco dias após o surgimento de sintomas.

O sotrovimab se baseia em anticorpos monoclonais, que são versões de laboratório dos anticorpos naturais que o corpo cria para combater infecções. Produtos semelhantes são oferecidos ou estão sendo desenvolvidos pela Eli Lilly, a Regeneron e a AstraZeneca.

Na terça-feira, a Regeneron disse que testes de laboratório e modelos de computador levam a crer que remédios de anticorpos contra Covid-19, incluindo o seu, teriam uma eficácia reduzida contra a variante Ômicron.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEHB10J1-BASEIMAGE


Saiba mais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua