Tecnologia & Meio ambiente

Greta dá voz a indígenas e fala de ‘assassinatos’ no Brasil

ROMA, 9 DEZ (ANSA) – A ativista sueca Greta Thunberg, um dos principais nomes da luta contra as mudanças climáticas, disse que os indígenas estão sendo assassinados no Brasil por tentarem proteger as florestas. A declaração foi dada ontem (8), às margens da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP15), que está ocorrendo em Madri, na Espanha, e veio um dia depois de um ataque a tiros ter deixado dois mortos e dois feridos no Maranhão. “Os povos indígenas estão sendo literalmente assassinados por tentar proteger as florestas do desmatamento. Repetidamente. É vergonhoso que o mundo permaneça calado sobre isso”, escreveu Greta, que compartilhou uma notícia sobre o ataque.   

Dois índios da etnia guajajara morreram baleados às margens da BR-226, no município de Jenipapo dos Vieiras. De acordo com a Fundação Nacional do Índio (Funai), eles foram atingidos por tiros disparados por ocupantes de um veículo.   

Nesta segunda-feira (9), a ativista voltou a falar dos indígenas, alegando que eles são “os que hoje estão sofrendo as consequências da crise climática”. “Não é nossa história que precisa ser contada, mas sim, dos indígenas”, ressaltou, abrindo uma coletiva de imprensa do movimento Fridays For Future durante a COP25.   

A jovem sueca convidou indígenas para discursarem na coletiva.   

“As emergências climáticas não são algo que terão impacto apenas no futuro. Elas já causam impacto em crianças nascidas hoje, em pessoas que vivem hoje”, ressaltou Greta.   

“Temos o dever de usar a atenção da imprensa para as nossas plataformas e para fazer nossas vozes serem ouvidas”, acrescentou a jovem. (ANSA)