Mundo

Greenpeace leva a “emergência climática” à sede da reunião europeia

Greenpeace leva a “emergência climática” à sede da reunião europeia

Bombeiros evacuam ativistas do Greenpeace que penduraram o grande banner com o slogan 'Emergência climática' na fachada do prédio do Conselho Europeu, em Bruxelas - AFP

A polícia belga retirou nesta quinta-feira quase 30 ativistas de Greenpeace da sede do Conselho Europeu, horas antes de uma reunião de cúpula de governantes da União Europeia (UE), para chamar a atenção sobre a “emergência climática”.

Os ativistas se posicionaram na fachada do edifício Europa, onde exibiram faixas com o lema “emergência climática” e acenderam sinalizadores para simular um edifício em chamas.

Os agentes de segurança iniciaram uma operação para retirar os ativistas e vários deles foram detidos, informou à AFP Ilse Van De Keere, porta-voz da polícia de Bruxelas.

Os bombeiros utilizaram duas escadas para permitir que os policiais alcançassem a estrutura metálica da fachada para deter os ativistas, que foram desalojados.

O Greenpeace driblou a segurança do Conselho Europeu há 10 anos, em dezembro de 2009, para exigir ações da UE na reunião de cúpula da ONU que seria organizada poucos dias depois em Copenhague.

O protesto desta quinta-feira acontece no momento em que os líderes europeus devem superar as divergências para apoiar a meta ambiciosa de alcançar a neutralidade de carbono no bloco até 2050, que no momento não convence países como Polônia ou República Tcheca, muito dependentes do carvão.