Agronegócio

Grãos: USDA reduz estimativas de produção e estoques para soja e milho

Washington, 10 – O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu nesta quinta-feira suas estimativas para produção e estoques domésticos de soja e milho. Em seu relatório mensal de oferta e demanda, o USDA cortou sua projeção para a safra de soja de 3,633 bilhões para 3,550 bilhões de bushels (de 98,88 milhões para 96,62 milhões de toneladas). Analistas consultados pelo Wall Street Journal esperavam uma redução menor, para 3,571 bilhões de bushels (97,20 milhões de toneladas). A projeção de rendimento foi reduzida de 47,9 para 46,9 bushels por acre (de 3,22 para 3,15 toneladas por hectare), enquanto o mercado esperava 47,1 bushels por acre (3,17 toneladas por hectare).

A produção de milho foi estimada em 13,779 bilhões de bushels (350 milhões de toneladas), com rendimento de 168,4 bushels por acre (10,57 toneladas por hectare). Em setembro, o USDA tinha projetado 13,799 bilhões de bushels (350,50 milhões de toneladas), com produtividade de 168,2 bushels por acre (10,56 toneladas por hectare). Os analistas esperavam uma redução maior, para 13,611 bilhões de bushels (345,72 milhões de toneladas), com rendimento de 166,8 bushels por acre (10,47 toneladas por hectare).

O governo dos EUA também reduziu sua previsão de estoques de soja ao fim da temporada 2019/20, de 640 milhões para 460 milhões de bushels (de 17,42 milhões para 12,52 milhões de toneladas). Analistas previam um corte menor, para 510 milhões de bushels (13,88 milhões de toneladas).

Quanto às reservas de milho, a estimativa foi reduzida de 2,190 bilhões para 1,929 bilhão de bushels (de 55,63 milhões para 49 milhões de toneladas). O mercado esperava uma redução maior, para 1,684 bilhão de bushels (42,77 milhões de toneladas), por causa do relatório trimestral de estoques, divulgado no fim de setembro. O documento mostrou que as reservas de milho no começo daquele mês estavam bem abaixo do que se imaginava.

O USDA elevou sua estimativa para estoques de trigo de 1,014 bilhão para 1,043 bilhão de bushels (de 27,6 milhões para 28,39 milhões de toneladas), enquanto analistas esperavam que o número ficasse estável. Fonte: Dow Jones Newswires.