Brasil

Governo prorroga auxílio emergencial por mais 2 meses

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Imagem do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial (Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

SÃO PAULO, 30 JUN (ANSA) – O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou nesta terça-feira (30) o pagamento de mais duas parcelas do auxílio emergencial por conta da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). Ao todo, serão R$ 600 por mês nos meses de julho e agosto, mas a quantidade de parcelas para cada pagamento ainda não foi definida.

Durante a cerimônia, o presidente da República, Jair Bolsonaro, já assinou o decreto com a prorrogação da ajuda. Estavam presentes também os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre.

As regras para o benefício continuam as mesmas: receberão os valores os trabalhadores informais, os beneficiários de outros programas de ajuda financeira do governo, microempreendedores individuais e autônomos de baixa renda. Ao todo, os dois meses de extensão custarão cerca de R$ 100 bilhões aos cofres públicos.

A lei que foi aprovada pelo Congresso, criando o auxílio após a demora do governo em implantar a medida, já previa a extensão do benefício sem a necessidade de passar por uma nova votação dos deputados e senadores. O anúncio dos R$ 600 veio após inúmeras discussões entre Legislativo e Executivo, já que Guedes queria pagar parcelas de R$ 200 por mês. Maia, por sua vez, disse que o Congresso não aceitaria um pagamento menor do que o já estava sendo dado para a população. (ANSA)

Veja também

+ Neto de Elvis Presley é encontrado morto, diz site
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Usado: Toyota Corolla é carro para ficar longe da oficina
+ Cientistas localizam o centro do Sistema Solar — e advinhem, não é o Sol
+ Filho de David Beckham fica noivo de atriz filha de bilionário
+ Royal Enfield Interceptor 650 a moto mais vendida no Reino Unido
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior