Mundo

Governo italiano nomeia novo interventor para Alitalia

ROMA, 06 DEZ (ANSA) – O Ministério do Desenvolvimento Econômico da Itália anunciou nesta sexta-feira (6) uma mudança no comando da maior empresa de aviação civil do país, a Alitalia, que está sob intervenção pública há dois anos e meio e não consegue encontrar um comprador.   

A companhia aérea era administrada desde maio de 2017 por três interventores nomeados pelo governo: Stefano Paleari, Enrico Laghi e Daniele Discepolo, que substituíra Luigi Gubitosi, atualmente CEO da Telecom Italia, há exato um ano.   

Agora, no entanto, o governo decidiu mudar a estratégia e nomear um único comissário, o advogado Giuseppe Leogrande, especialista em direito falimentar e que já exerceu funções semelhantes em várias empresas, inclusive a companhia aérea low cost Blue Panorama.   

Leogrande ficará responsável pelo novo processo licitatório para encontrar um comprador para a Alitalia, que será acompanhado por um plano de cortes e reorganização que torne a empresa mais “palatável” para investidores.   

Adiado diversas vezes desde 2017, o prazo final para uma oferta definitiva pela companhia aérea terminou em 21 de novembro, mas o consórcio liderado pela estatal Ferrovie dello Stato (FS) não conseguiu chegar a um acordo para colocar sua proposta na mesa.   

O grupo de potenciais compradores também incluía a americana Delta Air Lines, o Ministério da Economia e das Finanças e a holding italiana do setor rodoviário Atlantia, que acabou desistindo na última hora.   

O fracasso obrigou o governo a recomeçar a busca por um comprador – com novo prazo fixado em 31 de maio de 2020 – e a conceder um empréstimo-ponte de 400 milhões de euros à Alitalia.   

Até agora, Roma já empenhou 1,3 bilhão de euros para evitar a quebra da companhia aérea.   

“Quero agradecer aos comissários Daniele Discepolo, Enrico Laghi e Stefano Paleari pelo trabalho desenvolvido em uma situação delicada e pela sensibilidade institucional demonstrada na gestão de um caso complexo, mas que, infelizmente, não levou a uma solução de mercado definitiva para a empresa”, disse nesta sexta o ministro do Desenvolvimento Econômico da Itália, Stefano Patuanelli.   

“Um agradecimento também ao novo comissário, Giuseppe Leogrande, por ter aceitado o cargo. Junto com ele, o Estado agirá para permitir a recuperação definitiva da Alitalia”, acrescentou. Um dos alvos do governo é a alemã Lufthansa, que já demonstrou interesse pela companhia, mas exige uma profunda reestruturação para entrar em seu capital.   

Crise – Ex-companhia de bandeira, a Alitalia foi privatizada e hoje tem 51% de suas ações nas mãos da holding Compagnia Aerea Italiana (CAI) e 49% com o grupo árabe Etihad Airways.   

Após ter ficado à beira da falência no início de 2017, a empresa sofreu uma intervenção do governo, que concedeu empréstimos públicos para garantir sua sobrevivência e a administra desde então. (ANSA)

Veja também

+ Usado: Toyota Corolla é carro para ficar longe da oficina
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior