Economia

Governo britânico propõe ajuda a empresas norte-irlandesas após Brexit

Governo britânico propõe ajuda a empresas norte-irlandesas após Brexit

A libra esterlina se valorizou nesta quinta-feira depois que o Banco da Inglaterra elevou seu prognóstico econômico - AFP/Arquivos

O governo britânico anunciou nesta sexta-feira (6) que colocará à disposição das empresas sediadas na província da Irlanda do Norte um serviço gratuito para lidar com a burocracia necessária para importações da Europa, após o término do período de transição do Brexit.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

“Trata-se de um serviço único que permitirá às empresas de qualquer tamanho lidar, em seu nome e sem custos, com as gestões relacionadas à importação”, declarou em comunicado o ministro para a Irlanda do Norte, Brandon Lewis.

O sistema de ajuda, que será lançado em setembro após uma licitação pública em agosto, permitirá às empresas evitar a complexidade do sistema fiscal britânico ao fim do período de transição do Brexit.

O Reino Unido se retirou oficialmente da União Europeia (UE) em janeiro, mas seus intercâmbios comerciais seguem regidos até 31 de dezembro pela legislação continental, enquanto as duas partes concluem um novo acordo comercial.

Londres já havia revelado em julho suas primeiras propostas sobre a gestão de suas fronteiras após o Brexit, garantindo que serão aplicadas independentemente de um acordo com Bruxelas.

O projeto prevê, entre outras coisas, uma aplicação gradual da lei de fronteiras durante os seis primeiros meses de 2021 e o primeiro plano apresentará propostas para o desenvolvimento dos intercâmbios entre Irlanda do Norte, o restante do Reino Unido e a Repúblico da Irlanda, país vizinho da província britânica que ainda faz parte da UE.

O governo anunciou o desbloqueio de 222 milhões de euros para o financiamento do sistema de ajuda às empresas norte-irlandesas, que terão um status particular, assim como 170 milhões de euros mais para o desenvolvimento de uma tecnologia que permita a digitalização de todo o processo.

Outros 332 milhões de euros serão destinados a um programa de apoio a “projetos de paz, de prosperidade e de reconciliação” na província, marcada por três décadas de conflitos que causaram 3.500 mortes.

O conflito entre republicanos católicos, partidários da reunificação da Irlanda, e os unionistas protestantes, que queriam manter a província sob o controle da Coroa britânica, terminou em 1998 com os acordos de paz da Sexta-Feira Santa.

Veja também

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea