Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Na boa, fora uma minoria de pessoas civilizadas e humanistas – também minorias no mundo atual – e a comunidade judaica mundial, absolutamente todo o resto do planeta ou está ‘cagando e andando’ ou simplesmente odeia os judeus.

Os recentes casos de estupidez humana em último grau, protagonizados por dois idiotas sem noção e sem limites, Adrilles Jorge (ex-Jovem Pan) e Bruno Aiub, o Monark, ex-Flow, estão anos-luz distantes do nazismo e antissemitismo.

Ambos os ‘cancelados’ jamais fizeram pregação nazista ou atuaram nesse sentido – ainda que Adrilles lamba as botas de quem age analogamente ao nazismo. Por isso, carimbar os dois imbecis ou criminalizá-los como nazistas é injusto e oportunismo fétido.

DEPUTADO KIM

Políticos diversos, agora, miram suas baterias hipócritas e oportunistas contra o deputado federal Kim Kataguiri – outro que andou balbuciando bobagens monumentais sobre o nazismo -, utilizando o holocausto e os judeus como meio para suas rinhas políticas.

Inclusive, junto a estes neo defensores do judaísmo, estão partidos que historicamente se posicionam contra Israel e o direito de autopreservação dos judeus israelenses. A preocupação humanista desta gente não vale uma nota de três reais suja e rasgada.

Assistir ao lulopetismo e suas franjas na esquerda e ao bolsonarismo unirem-se contra o melhor deputado do Congresso Nacional (e quem diz isso são os números e a trajetória do rapaz), pretensamente em prol dos judeus, é uma piada de muito mau gosto.

BOLSOPETISMO

Bolsonaro, o mito da extrema direita tupiniquim, é aquele que defendeu o extermínio dos índios brasileiros; que declarou amor a um torturador; que disse preferir um filho morto a um filho gay; que comparou um quilombola a animais de corte e que fez apologia ao estupro.

Lula da Silva, o meliante de São Bernardo, é ‘o cara’ que fez piadas homofóbicas; chamou suas colegas de partido de ‘mulheres de grelo duro’; apoiou e financiou ditadores e terroristas, a quem chamou de irmãos, mundo afora, com o dinheiro roubado da Petrobras.

Parlamentares puxa-sacos destes dois vermes políticos são contumazes apoiadores de grupos terroristas, inclusive antissemitas; defensores do fechamento do Congresso e do STF; cúmplices e protetores de milicianos e apologistas de crimes de ódio.

HIPÓCRITAS

Nenhum deles, eu repito, jamais se preocupou com Israel e os judeus. Ao contrário. Quando se lembram de nós – eu sou judeu! – é para se posicionarem a favor dos terroristas em Gaza. E são useiros e vezeiros em chamar Cuba e Venezuela de democracias.

Essa gente asquerosa agora pretende fingir-se solidária aos judeus, mas não passam de oportunistas imundos, guerreando às custas da história de sofrimento e horror de um povo que, se dependesse deles, já teria sido extinto da face da Terra há bastante tempo.

Os judeus necessitam, sim, e muito!, de apoio e solidariedade. Mas honestos; sinceros. Não precisamos nem queremos hipócritas oportunistas, com duplo padrão moral, a atacar seus adversários políticos, utilizando-se, repito, da nossa luta pela sobrevivência.

FINALIZO

Particularmente, ideologicamente falando, discordo muito do MBL (Movimento Brasil Livre) e da forma com que fazem política. Contudo, seria muita desonestidade não reconhecer o valor de seus parlamentares e do belo trabalho que tem feito, em meio à tanta porcaria.

Assim, por favor, combatam Kim Kataguiri no terreno da política. Desnudem seu mandato parlamentar e o acusem do que encontrarem de ruim e errado. Mas não usem os judeus para isso. Massa de manobra, vocês já têm em abundância em seus currais eleitorais.

Ah! Falo aqui como um judeu, e não representando os judeus. E quando, ocasionalmente, escrevo na primeira pessoa do plural, trata-se de mero vício de ortografia, nada mais. O que vai acima reflete única e exclusivamente meus sentimentos e achismos. Meus. Só meus.