Neste domingo (27), uma legião de personalidades usaram as redes sociais para mandar mensagens de apoio a Gilberto Gil, que na última quinta-feira (24) foi hostilizado por bolsonaristas na Copa do Mundo do Catar, mas o vídeo só viralizou no último sábado (26).

O presidente eleito Lula (PT), Angélica, Caetano Veloso, Juliette e outros famosos mostraram solidariedade ao cantor de 80 anos de idade.

Lula: “Gilberto Gil é um dos maiores brasileiros da história. Nosso solidário abraço aos amigos Gilberto Gil e Flora Gil”.

Angélica: “Gilberto Gil faz parte da nossa cultura musical , da nossa arte … merece respeito e todo nosso apoio! #absurdo”.

Caetano Veloso: “Meu irmão na música e na vida, Gilberto Gil, foi injuriado por bolsonaristas no Catar. Ele tem 80 anos e estava com sua esposa. Quero prestar solidariedade ao gênio Gil e dizer que nós, os artistas, assim como a verdadeira sociedade, esperamos que os criminosos sejam punidos”.

Juliette: “Meu abraço a Gilberto Gil e Flora. Vocês são acolhimento e amor. Não podemos tolerar qualquer tipo de violência, com quem quer que seja. Educação e respeito são o mínimo para uma sociedade melhor”.

Assine nossa newsletter:

Inscreva-se nas nossas newsletters e receba as principais notícias do dia em seu e-mail

Preta Gil, filha de Gilberto Gil, fez um textão na web mostrando toda sua indignação. Leia abaixo na íntegra:

“O que aconteceu com meu pai e Flora no dia do jogo do Brasil no Catar onde foram agredidos verbalmente por um bolsonarista violento é assustador. Eu e meu pai pensamos parecido a respeito de conviver com um diferente, estamos acostumados, e mais que isso, tentamos de forma muito civilizada essa convivência sem nos sentir ameaçados e tão pouco ameaçados. Por muitas vezes ocupamos os mesmos espaços que eles. Eu, meu pai ou Flora jamais, em nenhuma situação, iríamos atacar ou xingar um bolsonarista gratuitamente. Eu realmente acho que nem todo eleitor do Bolsonaro seja a escória da humanidade, mas esse infelizmente é, e o que ele fez com o meu pai foi tão agressivo, tão nojento, tão violento que devemos sim nos revoltar. O bolsonarismo mata e fere, e isso tem que acabar”, desabafou.


Siga a IstoÉ no Google News e receba alertas sobre as principais notícias