Esportes

Gareca pede que futebol peruano reinicie “o mais rápido possível”

O técnico da seleção peruana, o argentino Ricardo Gareca, pediu às autoridades locais para que reiniciem o campeonato da primeira divisão o mais rápido possível, pois as condições físicas dos jogadores estão piorando com o confinamento devido à pandemia de coronavírus.

“Estritamente no âmbito esportivo, o futebol precisa ser reativado. Os jogadores devem voltar aos treinos”, disse Gareca em entrevista à rádio RPP.

“Isso precisa começar o mais rápido possível, seguindo os protocolos. As condições físicas dos jogadores estão se deteriorando cada vez mais”, disse o treinador, que está confinado em Lima desde março.

O governo autorizou o retorno gradual aos treinos até a segunda semana de junho, como o primeiro passo para retomar o torneio sem a presença do público.

Gareca, cuja família está na Argentina, destacou que treinar em casa não é o mesmo que treinar em um campo, como faz um jogador profissional.

“Precisamos que todos os treinamentos sejam reativados na primeira semana de junho, para que na primeira semana de julho a Liga1 seja retomada” com os jogos, disse o técnico da ‘Blanquirroja’.

Quanto aos protocolos sanitários para o coronavírus, o técnico afirmou que “o Peru não precisa copiar” outros países.

A esperança de retomar o torneio da divisão superior, no curto prazo, ganhou força depois que o governo autorizou na sexta-feira passada o retorno dos esportes aplicando protocolos sanitários.

A FPF aguarda o Ministério da Saúde aprovar uma série de medidas de protocolo de biossegurança para lançar o plano de retomada do futebol no país.

Em relação às eliminatórias sul-americanas, Gareca não descartou recorrer apenas aos jogadores do torneio local para montar uma seleção se o fechamento dos aeroportos for prorrogado.

“Se for necessário disputar as eliminatórias com os jogadores locais, faremos isso”, afirmou. “Você precisa estar preparado. Estou me antecipando e acho que é necessário se antecipar”, enfatizou.

Gareca afirmou que está ciente da saúde dos jogadores que costumam ser convocados, como é o caso de Jefferson Farfá, que está se recuperando da COVID-19 na Rússia, onde foi infectado.

O Peru estendeu na sexta-feira o confinamento obrigatório até 30 de junho, mas permitiu “a partir dessa extensão, atividades esportivas profissionais que não envolvam contato físico direto e futebol profissional”, disse o presidente Martín Vizcarra.

O futebol peruano está suspenso desde a segunda semana de março, quando apenas seis rodadas do torneio da primeira divisão do Apertura 2020 haviam sido disputadas.

cm/ljc/ma/aam

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação
+ Fotos íntimas de apresentadora italiana são vazadas em aplicativos de mensagens no Brasil
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Conheça os quatro tipos de carros híbridos e suas diferenças
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior