Esportes

Gabriel Veron cumpre etapa de transição e volta a treinar com bola

Atacante está em fase final de recuperação em razão de uma lesão muscular na parte posterior da coxa esquerda. Veron ainda não atuou pelo Palmeiras depois da parada

Gabriel Veron cumpre etapa de transição e volta a treinar com bola

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

O atacante Gabriel Veron avançou em mais uma etapa da recuperação e voltou a treinar com bola na Academia de Futebol. Após quatro semanas parado por conta de uma lesão no músculo posterior da coxa direita, ele é esperado como reforço para a disputa do Brasileirão.

Veron é uma das grandes promessas do clube para a competição nacional. A última partida em que Veron atuou com a camisa do Palmeiras foi na vitória sobre o Tigre (ARG) por 2 a 0, na Copa Libertadores da América, em 4 de março de 2020.

Veron é cria palmeirense. Para se ter uma ideia da qualidade do atleta, logo em sua segunda partida pela equipe principal, ele balançou as redes duas vezes e concedeu uma assistência no duelo com o Goiás, pelo Campeonato Brasileiro, tornando-se o segundo mais jovem atleta a marcar gol pelo Verdão, com 17 anos, três meses e dois dias, desbancando Mazzola, cujo gol de estreia em 1956 foi com 17 anos, seis meses e cinco dias – apenas Juliano, com 16 anos, 11 meses e 23 dias em 1998, está à frente no ranking.

Veja também

+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea