Geral

G-20: Estamos preparados para tomar novas medidas contra riscos como coronavírus

O G-20 aumentará sua atividade de monitoramento de riscos globais, “incluindo a recente epidemia de COVID-19 (coronavírus)”, informa comunicado divulgado após reunião de ministros de Finanças e presidentes de bancos centrais do bloco encerrada ontem em Riad, Arábia Saudita. Outros riscos para o crescimento econômico mundial citados foram tensões geopolíticas e comerciais, além de incertezas políticas. “Estamos preparados para tomar novas ações para lidar com esses riscos”, completa a nota.

A menção ao vírus foi breve, e o restante do comunicado abordou formas de os países alcançarem crescimento sustentável. “A política fiscal deve ser flexível e voltada ao crescimento ao mesmo tempo que assegura que a relação entre dívida e PIB está em caminho sustentável”, diz um trecho do documento. Para política monetária, a recomendação e de continuidade do suporte à atividade econômica e da busca por assegurar estabilidade de preços.

O grupo também concordou em desenvolver uma agenda de tecnologia de infraestrutura – chamado de “InfraTech” -, para estimular o uso de novidades tecnológicas em projetos de infraestrutura.

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ Maria Zilda relembra como soube que Ary Fontoura era gay: “A coisa mais incrível que já ouvi”
+ Rafa Kalimann ensina receita de palha italiana; veja o vídeo
+ Juliana Caetano, do Bonde do Forró, fala sobre proposta de 500 mil reais que recebeu
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior