Brasileiros do Ano 2019

Fundador da Faculdade Zumbi dos Palmares, tem atuação destacada na educação para todos e trabalha por um futuro melhor para a população negra

Crédito: Divulgação

Brasileiros do Ano – Igualdade Racial – JOSÉ VICENTE

José Vicente é reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares e presidente da Sociedade Afrobrasileira de Desenvolvimento Sociocultural, Afrobras. É um ativista da igualdade racial e um homem que conseguiu preservar características da juventude, como criatividade, coragem e amor ao próximo. Bem humorado, articulado e de personalidade agregadora, conseguiu transformar o sonho de um futuro melhor para a população negra brasileira em realidade.

Sua grande obra é a Fundação Unipalmares, surgida em 2004, que se transformou posteriormente na Faculdade Zumbi dos Palmares. No início, oferecia 200 vagas na área de administração. De lá para cá, cresceu, têm mais de 1500 alunos e 50 cursos em diversas áreas. Metade das vagas são destinadas para afrodescendentes. Além disso, ele mantém um estreito contato com empresas de grande porte que, há dez anos, abrem suas portas para alunos da faculdade com o intuito de disponibilizar acesso a vagas de emprego para uma população excluída. “Temos que continuar com esse trabalho educacional e de acesso a empregos de qualidade para atingirmos todo Brasil, pois os nossos números ainda são horríveis”, afirma José Vicente.

Pensamento crítico

De origem humilde, José Vicente viveu até os 20 anos na cidade de Marília. Foi vendedor de biscoito, de porta em porta, trabalhou como bóia-fria, como funcionário de um açougue local, no ferro-velho, numa fábrica de brinquedos e na Faculdade de Odontologia da Associação de Ensino de Marília, atualmente Unimar. Mais tarde, mudou-se para São Paulo, se formou em direito e advogou por um período até passar num concurso público para delegado. Chamou atenção dentro da corporação policial porque começou a falar sobre democracia e valorização da vida. Inquieto, nunca parou de estudar. Entrou na tradicional Escola de Sociologia e Política de São Paulo, em 1996, e lá aprimorou sua consciência crítica e se aproximou dos movimentos negros. Seu grupo passou a discutir e elaborar formas de incluir a população negra em espaços educacionais. Esse fato foi determinante para estabelecer a estrutura administrativa e jurídica da Faculdade Zumbi dos Palmares.