ISTOÉ Gente

Francinne abre coração sobre vida na Coreia do Sul após relacionamento abusivo no Brasil

Crédito: Reprodução/Instagram

A vida de Francinne mudou totalmente em menos de um ano. Recém saída de um relacionamento abusivo, ela inovou na carreira musical sendo a primeira brasileira sem ascendência asiática a entrar para o K-pop. Em entrevista ao Extra, Francinne abriu o coração sobre essa mudança tão grande e como é viver em um país asiático sendo brasileira.

+ Fábio Assunção erra e ‘mata’ Otávio Augusto ao vivo
+ Tartaruga empalada revela dado novo sobre o dia em que os dinossauros morreram
+ ‘Olho no espelho e gosto de mim’, diz modelo que teve 88% do corpo queimado
+ Ultimate Camper: conheça o trailer para viagens completo no estilo vintage


“Com certeza (esse trabalho) representa uma nova fase na minha vida. Eu venho de uma fase de quase desistir da minha carreira, sabe? E aí aconteceu tudo isso em menos de um ano”, começou. “Eu fui para a Coreia, coisas que eu não esperava que fossem acontecer na minha vida. Eu me senti realmente valorizada, pelo meu talento, minha arte. Eu me senti muito abraçada, muito acolhida pela cultura. Foi um refresh na minha vida, na minha carreira. Estou muito feliz nessa fase”, acrescentou.

A cantora passou meses estudando coreano para lançar seu “debut”, o single “Fading Like a Moon”. “A música é toda em coreano, e o refrão é em inglês, para fazer cantar junto. Hoje em dia eles (os idols) já têm feito músicas só em inglês para atingir o público mundial, mas como essa proposta era fazer K-pop, a gente fez em coreano”, completou.

Confira o single de Francinne: