Com pênaltis convertidos por Kylian Mbappé e Robert Lewandowski, França e Polônia empataram em 1 a 1 nesta terça-feira (25), em Dortmund, na terceira rodada do Grupo D da Eurocopa, com os ‘Bleus’ avançando às oitavas de final em segundo e os poloneses eliminados.

Simultaneamente, em Berlim, a Áustria se garantiu como líder da chave com uma vitória por 3 a 2 sobre a Holanda, que avança como terceira.

“Não estamos frustrados, o objetivo era o primeiro lugar, mas não pudemos vencer. Temos que valorizar o que conseguimos: classificar, o nosso primeiro objetivo”, relativizou o técnico francês Didier Deschamps.

Numa tarde de sol em Dortmund, depois de um primeiro tempo pouco movimentado, o jogo ganhou intensidade na segunda etapa. Ousmane Dembélé sofreu pênalti e Mbappé converteu para colocar a França em vantagem (56′). Depois, foi a vez de Lewandowski (78′) empatar.

A cobrança do atacante do Barcelona foi defendida pelo goleiro Mike Maignan na primeira tentativa, mas o goleiro francês se adiantou e o árbitro mandou voltar. Lewandowski repetiu ‘paradinha’ e chutou do mesmo canto, no pé da trave, para marcar.

“Esta Eurocopa nos mostrou que não temos que ter medo de jogar contra grandes equipes. Podemos fazer isso. É uma boa lição para o futuro”, disse o artilheiro polonês.

– Griezmann começa no banco –

Com Mbappé entre os titulares, de volta usando uma máscara após fraturar o nariz, mas com Griezmann no banco, a França ganhava por um lado, mas perdia por outro.

O novo jogador do Real Madrid é uma ameaça constante, mas sem o meia-atacante do Atlético de Madrid a engrenagem francesa fica sem uma peça importante.

A França queria dar uma resposta depois dos dois primeiros jogos sem brilho: vitória por 1 a 0 sobre a Áustria graças a um gol contra e empate sem gols com a Holanda.

Mas uma coisa são as intenções e outra é a realidade. Os ‘Bleus’ não vivem um bom momento na Euro, muitas vezes sem rumo, resgatados pela lucidez do volante N’Golo Kanté (melhor jogador das duas primeiras rodadas), mas sem companhia no meio-campo.

Kanté, que parecia viver uma aposentadoria de luxo na Arábia Saudita, voltou à seleção convocado por Deschamps e deu dinâmica à equipe levando a bola da defesa ao ataque.

Em uma dessas arrancadas, encaixou bom passe para Dembélé, que bateu em cima do goleiro Lukasz Skorupski (19′).

A Polônia, com a leveza de jogar sem responsabilidade, teve motivos para acreditar em uma vitória. Deu trabalho para Maignan em duas finalizações perigosas (6′ e 15′), mas o goleiro do Milan defendeu sem problemas.

A terceira oportunidade foi do capitão Lewandowski, mas sua cabeçada passou rente à trave (34′).

– Comemoração sem máscara –

E Mbappé? Sua primeira chance veio pouco antes do intervalo (42′), em uma jogada combinada com Bradley Barcola pela direita que terminou com a bola passando por cima da linha do gol.

Na volta para o segundo tempo, a França conseguiu dar velocidade a seu jogo e mais oportunidades surgiram.

Finalmente, Dembélé carregou a bola até a área e sofreu pênalti. Mbappé não perdoou e fez 1 a 0.

O capitão dos ‘Bleus’ chegou à marca de 48 gols em 82 jogos pela seleção, fazendo seu primeiro nesta Eurocopa. Para comemorar, tirou a máscara de proteção que passou a usar após a fratura no nariz.

Na sequência, Griezmann entrou em campo em uma tripla alteração de Deschamps, que também incluiu Olivier Giroud e Eduardo Camavinga.

Mas a Polônia tirou forças para rondar a área francesa e conseguiu um pênalti confirmado com auxílio do VAR após uma entrada de Dayot Upamecano sobre Karol Swiderski.

pm/eb/cb/aam