Mundo

França alerta que Irã cometerá ‘grave erro’ se violar acordo nuclear

França alerta que Irã cometerá ‘grave erro’ se violar acordo nuclear

Usina de produção de água pesada de Arak, no centro do Irã, em 26 de agosto de 2006 - AFP/Arquivos

O Irã cometerá “um grave erro”, se violar o acordo nuclear de 2015 – advertiu nesta terça-feira (25) o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian.

“As diplomacias francesa, alemã e britânica estão totalmente mobilizadas para fazer o Irã entender que não é de seu interesse”, disse Le Drian à Assembleia Nacional, pedindo “ações conjuntas para evitar uma escalada” no Golfo.

De acordo com Le Drian, a violação deste tratado também seria uma “má resposta para a pressão exercida pelos Estados Unidos”.

Em um contexto de crescentes tensões entre Washington e Teerã, o Irã anunciou em 8 de maio que não se sentia obrigado a respeitar os limites deste acordo concluído em 2015, em Viena. Nesta data, seis potências internacionais firmaram o pacto sobre as reservas de água pesada e urânio enriquecido iranianas.

Apresentado em resposta à decisão de Washington um ano antes de se retirar unilateralmente do acordo e voltar a impor sanções contra a República Islâmica, o anúncio foi acompanhado de um ultimato.

Teerã deu “60 dias” aos demais Estados signatários do Pacto de Viena (China, França, Alemanha, Reino Unido e Rússia) para ajudar o país a escapar das sanções, especialmente aquelas que atingem seu sistema financeiro e suas exportações de petróleo.