Geral

Fotógrafo recebe ameaças após flagrar ônibus de Luciano Hang em local irregular

Crédito: Facebook/ Luciano Hang

O fotojornalista Eduardo Matysiak passou a receber ameaças após registrar um ônibus ligado ao empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, estacionado de forma irregular em Curitiba (PR). Em nota ao Uol, a prefeitura da cidade confirmou que o veículo foi multado na quinta-feira (7).

Também no dia 7, Matysiak entrevistou Hang na porta do hotel em que ele estava e o questionou sobre a infração de trânsito. Na ocasião, o empresário alegou que o ônibus era fretado. No dia seguinte, na sexta-feira (8), o dono das lojas Havan expôs o fotógrafo nas redes sociais e reclamou da denúncia.


O empresário disse ainda que outros veículos estariam estacionados de forma irregular, no entanto, apenas o ônibus “patriota” é visto parado nas imagens registradas por Matysiak. Após o post do empresário, o fotojornalista afirma que passou a receber diversas ameaças e xingamentos.

De acordo com Matysiak, as mensagens estão sendo compiladas por seus advogados para registrar um boletim de ocorrência. “Eu estou chocado, incrédulo, jamais imaginei isso. Eu fiquei mal, fiquei muito mal, temo ser agredido. Minha mãe entrou em pânico, ficou assustada também. É horrível”, disse ao Uol o fotojornalista, que também pretende entrar com um processo contra Luciano Hang na esfera cível.

Instagram will load in the frontend.

Em nota ao Uol, a assessoria do empresário Luciano Hang afirma que “em nenhum momento incitou qualquer tipo de ação” contra o fotógrafo.

“A ação de Hang foi uma resposta a Matysiak, que inicialmente expôs o empresário em suas redes sociais, após confrontá-lo em frente ao hotel em que ele e equipe estavam hospedados, questionando sobre uma suposta multa, a qual o empresário não tinha conhecimento. Até porque o ônibus Patriota não é de propriedade de Hang ou da Havan, e o local destinado ao estacionamento foi uma recomendação do hotel.”, diz a nota.

Ainda segundo a assessoria, os comentários nas redes sociais são fruto da liberdade de expressão. “Ele iniciou a exposição do fato e está colhendo as consequências. De qualquer modo, Hang enfatiza que se sente feliz por Matysiak tê-lo abordado tão cedo na porta do hotel, o que demonstrou que pelo menos uma vez na vida algum ‘esquerdista’ soube o que é acordar cedo para trabalhar”, afirma o comunicado.

Também em nota, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) repudiou a atitude do empresário. “A Abraji espera que as autoridades locais e as plataformas de redes sociais tomem as medidas cabíveis para combater a ação de Hang e de seus seguidores, que tentam, mais uma vez, atacar a liberdade de imprensa. E lembra que Hang é uma das figuras públicas que agem de forma sistemática para intimidar jornalistas, promovendo assédio judicial contra profissionais e veículos, numa evidente tentativa de cercear o trabalho de informar a sociedade”, diz o texto.