Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

As corridas de rua estão cada vez mais populares não só entre atletas profissionais, como também com praticantes amadores. E, para a maior parte dos competidores, é quase tão importante registrar os momentos quanto participar das provas – seja para guardar como recordação ou para divulgar o trabalho nas redes sociais.

Neste cenário, a figura do fotógrafo de corridas de rua ganha cada vez mais destaque. Em um ambiente externo, como o que ocorrem as provas, esse profissional pode lidar com diversas adversidades, como mudanças climáticas e dificuldade para captar os melhores ângulos dos competidores, conforme explicou o fotógrafo, filmmaker e diretor criativo Marcello Sortino.

“O último projeto que fiz relacionado à corrida de rua foi a maratona da Fila, em 2021. O principal desafio de fotografar e filmar uma maratona – que é em local externo – é pegar o timing perfeito que capte a toda a emoção do atleta no momento da prova”, explicou.

“E, para isso, temos alguns desafios, como nos posicionarmos bem e sabermos os momentos certos de pegarmos a fotografia e a filmagem dos atletas. Por estarmos lidando com um local externo, que traz muitas variáveis, costumamos combinar um ponto estratégico com os atletas. Deste modo, eles podem me ajudar a produzir a melhor foto possível ao saberem que serão fotografados naquele local específico”, completou.

Aos 25 anos, Marcello já acumula mais de sete anos de experiência como fotógrafo no Brasil e no exterior. Praticante de musculação e corrida, Sortino explica como essa experiência o ajuda no bom desempenho do trabalho.

“O fato de eu praticar corrida ajuda a entender o que os atletas estão passando na questão da performance e da superação. Então, sem dúvidas, isso me conecta ainda mais com eles e com o meu assunto fotográfico que, neste caso, são os atletas”, concluiu.