ISTOÉ Gente

‘Foram totalmente despreparados’, diz Evaristo Costa sobre saída da CNN

‘Foram totalmente despreparados’, diz Evaristo Costa sobre saída da CNN

Evaristo Costa sobre saída da CNN: 'Alegaram que não conseguiram patrocínio'

A saída tumultuada de Evaristo Costa da CNN Brasil deve ser formalmente assinada entre as partes nesta quarta-feira (8): a emissora decidiu encerrar o contrato, válido ainda por mais 15 meses, com o jornalista e acertar a diferença salarial que constava no documento. Segundo Evaristo, a casa alegou, entre outras justificativas, não ter verba de publicidade para seguir investindo na atração apresentada por ele, o “CNN Séries Originais”, que ficou de fora da nova grade, anunciada recentemente.

“Alegaram que não conseguiram vender patrocínio para meu programa, que não é a minha área”, relatou Evaristo, com exclusividade, a IstoÉ.


“Eu fui dispensado da forma que noticiei: descobri sozinho, assistindo à chamada da nova programação e não me vi lá. Um dia, antes de voltar das férias, liguei e disseram que não tinham mais interesse nos meus serviços, a menos que eu voltasse para o Brasil, mas isso eles sabiam que eu não aceitaria. Por isso, acredito que já estava tudo acertado entre eles. Desliguei o telefone e os acordos passaram a ser entre advogados. Nesse meio tempo, sugeriram  anunciarmos de forma conjunta à imprensa que foi um distrato de comum acordo e que isso seria bom para imagem de ambas as partes, segundo palavras deles. Eu não aceitei. Faltavam 15 meses ainda quando fui surpreendido. Não foi de comum acordo. Me programei para estar aqui na Inglaterra para as gravações, como está em contrato”, comentou o apresentador.

Para Evaristo, faltou o que ele chamou de “demissão humanizada” nas tratativas entre ele e a CNN Brasil. “Foram totalmente despreparados. Não fui eu que pedi pra trabalhar lá, eles vieram aqui em Cambridge me buscar e aceitaram todas minhas exigências. Eu honrei tudo que prometi”, disse.

Após receber o apoio do apresentador Marcos Mion, que comparou sua demissão da Record com a de Evaristo, o jornalista recebeu outras mensagens sobre sua postura diante da situação. “Milhares de pessoas se identificaram com o que passei. A gente se sente mal, com a autoestima no pé. Não é fácil colocar a cara e dizer: ‘fui demitido’. Não é fácil de dizer nem pra sua família, o que dizer de falar abertamente na internet? Por isso, foi importante a verdade e mostrar pras pessoas que ninguém está livre de ser demitido. O questionável é a forma. Boas empresas devem se preocupar até com como vão demitir seus funcionários. Ninguém mais aceita desrespeito. Empresas competentes cuidam bem da sua reputação”, desabafou o jornalista, sem adiantar os próximos passos profissionais.

“Saio de cabeça erguida, com minha imagem muito mais fortalecida. Não errei e fui correto com meus princípios”, finalizou.