Fome e obesidade infantil: a difícil realidade dos números que só crescem no Brasil

Crédito: Unsplash

(Crédito: Unsplash)


Os estudos e registros mostram que a fome e a obesidade vêm aumentando consideravelmente no Brasil. Nos últimos 2 anos, por decorrência da pandemia, esses números estão cada vez mais altos. 

Em 2013, depois de muitos esforços, o Brasil saiu do mapa da fome da OMS. Infelizmente, hoje voltamos a ele com números assustadores: 41% da população brasileira convive com a fome ou algum grau de insegurança alimentar – onde há a falta de disponibilidade e acesso aos alimentos. Metade das crianças com menos de 5 anos, vivem com restrição no acesso à alimentação adequada. 

+ REVELADO! Conheça o guia de alimentação ideal para seu filho!

Por outro lado, com a mesma origem estrutural – falta de assistência básica, a obesidade vem crescendo assustadoramente. Hoje, 340 milhões de crianças e adolescentes, no mundo, apresentam algum grau de obesidade ou sobrepeso, segundo dados da OMS. No Brasil, esse número corresponde a 30% das crianças e adolescentes, ou seja ⅓ dessa população está doente.

Tanto a fome quanto a obesidade infantil têm como base para seu crescimento a pobreza e a falta de assistência. Outro número que também só aumenta no Brasil é o que denuncia a quantidade de brasileiros na linha da pobreza ou pobreza extra, que hoje somam mais de 75 milhões de brasileiros.

Nas prateleiras dos mercados, é possível perceber um aumento no custo dos alimentos in natura enquanto os ultraprocessados ficam cada vez mais baratos. Grandes marcas de ultraprocessados e a publicidade desleal colaboram imensamente para que esses números só aumentem.

O consumo de alimentos in natura e minimamente processados diminuiu cerca de 85% nas casas com insegurança alimentar. Dando espaço para os produtos ultraprocessados: miojo, biscoitos, refrigerantes…recheados de sal, açúcar e gordura. Deixando claro que o aumento da pobreza impulsiona o consumo de ultraprocessados para quem tem fome contribuindo para o aumento da obesidade. Essa é a lógica equivocada de um sistema alimentar doente.

+ Conheça agora o guia de alimentação ideal para seu filho

Saiba mais
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio


Sobre o autor

Nutricionista, Formada pela USU - Rio de Janeiro em 2003, especializada em alimentação infantil. Trabalha com crianças desde 1999, quando, ainda na faculdade, dava aulas de capoeira. Em 2013 estreou como apresentadora no canal GNT dos programas Socorro! Meu Filho Come Mal, Cozinha Colorida da Kapim e, em 2018, o Socorro! Meus Pais Comem Mal. Autora de 2 livros, homônimos dos programas, um deles com mais de 60 receitas para a família toda colocar a mão na massa. Kapim é mãe de dois adolescentes muito legais e que comem superbem, Sofia (15) e Antonio (13). Nesses mais de 20 anos trabalhando com crianças, já ajudou a transformar e melhorar os hábitos alimentares de milhares de famílias, sempre buscando uma conexão saudável entre todas as partes envolvidas: pais, filhos e o alimento.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.