Economia

Auxílio emergencial: ‘Foi uma saga para provar que eu estava viva’

Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Imagem do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial (Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Moradora de São Paulo, Tânia Aparecida Gonçalves há mais de 20 anos não tem emprego formal. Ao pedir o auxílio em abril deste ano, descobriu que era dada como morta pelo governo. Ela passou por um périplo para comprovar que estava viva. Revelado pelo Estadão no dia 7 de junho, o caso de dona Tânia só foi resolvido no fim de setembro, quando ela começou a receber o benefício.

“Enfrentei muitos problemas, não é melodrama. Eu entrei em depressão. Fiz de tudo: catei latinha, não tenho vergonha, fiz faxina, e vivi de doações de cesta básica”, conta sobre o período em que ficou sem o auxílio. “Pedi nos primeiros dias e disseram que eu estava morta. Aí começou a minha saga para mostrar que eu estava viva.”

Com esse atraso, a paulistana não deve receber todas as parcelas do auxílio a que teria direito, caso não tivesse havido o erro do governo.

A diretora das Relações Institucionais da Rede Brasileira de Renda Básica, Paola Carvalho, acionou o Ministério Público e a Defensoria Pública para que o benefício de Tânia fosse concedido. “Tudo demorou muito tempo. A dona Tânia teve de ir para rua no meio da pandemia”, disse Paola. “As coisas já não estavam bem, aí a gente se vê desesperada, sem nenhum tostão, sem nada”, conta Tânia que deve receber a segunda parcela do auxilio dia 27.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel