Esportes

Fluminense sente cansaço, mas vence o Atlético-GO com um gol contra

O Fluminense largou na frente na quarta fase da Copa do Brasil ao vencer o Atlético-GO por 1 a 0, nesta quarta-feira à noite, pelo jogo de ida. Os dois times mostraram sinais de cansaço devido à maratona de jogos e o único gol foi anotado, contra, pelo zagueiro João Victor.

O time carioca joga pelo empate no jogo de volta na próxima quinta-feira, no Estádio Olímpico, em Goiânia. O Atlético precisa vencer por dois gols de diferença ou ganhar por um gol e levar a definição da vaga para a cobrança dos pênaltis. Quem avançar às oitavas de final garantirá um prêmio de R$ 2,6 milhões.

O primeiro tempo muito ruim tecnicamente, acompanhando as péssimas condições do gramado, com muitos buracos e irregularidades. Precisando aproveitar o fator casa para vencer, o Fluminense ficou na obrigação de ir ao ataque. Mas pecou nos passes e na lentidão para sair da defesa ao ataque.

O Atlético também jogou como permite o regulamento, tentando deixar passar o tempo, bem fechado atrás e na esperança de encaixar um contra-ataque. Mas não criou nenhuma chance. Pelo contrário, ainda viu uma bela cobrança de falta de Nenê, aos 38 minutos, perto da linha da grande área. Ele encobriu a barreira e a bola entraria no ângulo direito não fosse o salto do goleiro Jean que espalmou a escanteio.

O segundo tempo começou com a mesma morosidade. O técnico Odair Hellmann percebeu que alguns jogadores estavam cansados, tanto que logo começou a substituir. Saíram Michel Araujo, Nenê e Wellington Silva para as saídas, respectivamente, de Marcos Paulo, Ganso e Miguel.

O Atlético se manteve dentro de sua estratégia de apenas esperar o adversário na defesa. Levou um susto aos 21 minutos, quando Luiz Henrique disparou sozinho em velocidade e quando iria finalizar acabou interceptado pela saída de área de Jean que chutou a bola para fora.

Só mesmo o acaso poderia alterar a situação de jogo. E foi o que aconteceu aos 31 minutos, quando Egídio cobrou escanteio na pequena área e o zagueiro João Victor, na tentativa de aliviar, cabeceou para trás e surpreendeu Jean. Gol contra e Fluminense na frente.

Vagner Mancini ainda tentou oxigenar o time goiano com várias trocas, mas, naquela altura, os dois times mostravam sinais visíveis de cansaço. Não deu para reagir.

Antes do jogo da volta, o Fluminense retoma o Campeonato Brasileiro. No domingo, enfrenta o Sport, às 20h30, na Ilha do Retiro em Recife (PE). O Atlético-GO vai receber o Atlético Mineiro, no sábado, às 21 horas no Estádio Olímpico.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 1 x 0 ATLÉTICO-GO

FLUMINENSE – Muriel; Calegari, Luccas Claro, Nino e Egídio; Hudson, Dodi (André) e Michel Araújo (Marcos Paulo); Nenê (Ganso), Wellington Silva (Miguel) e Luiz Henrique (Yago Felipe). Técnico: Odair Hellmann.

ATLÉTICO-GO – Jean; Dudu (Gilvan), João Victor, Éder e Natanael; Edson, Oliveira (Matheus Frizzo) e Chico (Matheus Vargas); Janderson (Hyuri), Renato Kayzer e Gustavo Ferrareis (Matheuzinho). Técnico: Vagner Mancini.

GOL – João Victor (contra), aos 31 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Luccas Claro (Fluminense); João Victor, Renato Kayzer e Gustavo Ferrareis (Atlético-GO).

ÁRBITRO – Caio Max Augusto Vieira (RN).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel