Esportes

Fluminense é melhor, bate o Santos no Maracanã e entra no G4 do Brasileirão

Formação escolhida por Cuca não deu resultado em cima de boa estratégia de Odair Hellmann; Tricolor chega aos sete jogos sem perder

Fluminense é melhor, bate o Santos no Maracanã e entra no G4 do Brasileirão

Em partida que valia a vaga no G4, melhor para o Fluminense, que montou um bom esquema de marcação e teve boa atuação para bater o Santos por 3 a 1 neste domingo, no Maracanã. Luccas Claro, Nino e Marcos Paulo marcaram pelo lado Tricolor, enquanto Marinho descontou na partida pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com esse resultado, o Flu vai aos 29 pontos e sobe para a quarta posição no Brasileirão. Na próxima rodada, o Tricolor visita o Fortaleza, no sábado, às 21h. Já o Alvinegro Praiano cai para sexto, com 27 pontos, e joga também no sábado, às 19h, contra o Bahia.

SEM ESPAÇO PARA O PEIXE

Jogando em casa e precisando vencer, o Fluminense começou sem medo de agredir o adversário. Os sistemas de marcação até foram mais fortes no início, mas logo o Tricolor dominou a partida e não cedeu mais espaços a um Santos pouco inspirado com as mudanças feitas por Cuca. Depois de tomar algumas decisões erradas na hora de finalizar, o Flu acertou o pé. Hudson obrigou João Paulo a fazer grande defesa aos 17, aproveitando a lentidão adversária, assim como Caio Paulista. Mas foi Luccas Claro quem abriu a contagem. Aos 28 minutos, Michel Araújo abriu, Danilo Barcelos cruzou, Fred desviou e a bola sobrou para o zagueiro cabecear, marcando seu quinto gol no ano.

ELE DECIDE

A alegria do Fluminense durou pouco. Mesmo bem, o Tricolor abriu os espaços que vinha evitando quando Danilo Barcelos saiu do campo para ser atendido e sofreu o gol em jogada justamente por aquele setor. E na primeira finalização do Santos na partida. Aos 35 minutos, Luccas Claro deixou Madson cruzar e Nino não conseguiu acompanhar a ótima movimentação de Marinho na área. Letal, o atacante completou para deixar tudo igual. A comemoração com um soco no ar foi uma clara homenagem a Pelé, que completou 80 anos nesta semana.

SÓ ZAGUEIROS

Mesmo com o gol, o Fluminense voltou ligado para a segunda etapa, enquanto o Santos ainda tentava encontrar o melhor posicionamento. E a organização, somada à pressão, recolocou o Tricolor à frente no placar. Aos nove minutos, após cobrança de falta, Luan Peres afastou de cabeça, Michel Araújo cabeceou para a área e Nino completou para o fundo da rede. O Alvinegro Praiano até chegou ao gol pouco depois, mas Anderson Daronco marcou falta de Veríssimo em Nino.

TENTOU, MAS FECHOU

Com pouca mobilidade após as alterações, os cariocas reduziram a marcação com pressão, mas seguiram bem postados. Isso dificultou a reação santista. Já com outro esquema, o time treinado por Cuca tentou chegar à frente com Marinho e Pituca, mas não vinha dando trabalho. Aos 42, o Santos novamente chegou a balançar a rede, mas teve o lance anulado. Em cruzamento, Arthur Gomes, impedido, fez falta em Nino. Soteldo encobriu Muriel, mas não valeu. A partida seguia aberta para os dois lados e foi Marcos Paulo quem fechou a contagem, dando a vitória ao Fluminense. Aos 47 minutos, o atacante aproveitou a sobra para marcar.

FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 3X1 SANTOS

Data/Hora: 25/10/2020, às 16h
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Anderson Daronco (FIFA – RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (FIFA – RS) e Michael Stanislau (RS)
Árbitro de vídeo: Daniel Nobre Bins (RS)

Cartões amarelos: Michel Araújo, Dodi, Wellington Silva, Hudson (FLU), Felipe Jonatan, Arthur Gomes, Luan Peres (SAN)
Cartões vermelhos:
Gols: Luccas Claro (28’/1ºT) (1-0), Marinho (35’/1ºT) (1-1), Nino (9’/2ºT) (2-1), Marcos Paulo (46’/2ºT) (3-1)

FLUMINENSE: Muriel; Igor Julião, Nino, Luccas Claro e Danilo Barcelos; Dodi, Hudson e Nenê (Marcos Paulo – 43’/1ºT); Michel Araújo, Caio Paulista (Ganso – 15’/2ºT) e Fred (Yuri – 44’/2ºT). Técnico: Odair Hellmann.

SANTOS: João Paulo; Laércio (Arthur Gomes – intervalo), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Madson; Jobson (Alison – 16’/2ºT (Marcos Leonardo – 31’/2ºT)), Diego Pituca e Felipe Jonatan (Jean Mota – 39’/2ºT); Marinho, Soteldo e Lucas Braga (Ângelo – 15’/2ºT). Técnico: Cuca.

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel