ISTOÉ Gente

Flavia Pavanelli é criticada por seios pequenos e rebate: “Sério isso?”

Crédito: Reprodução/Instagram

A digital influencer Flavia Pavanelli respondeu publicamente a algumas críticas que recebeu no Stories, do Instagram, por conta do tamanho dos seus seios. Indignada com o ocorrido, ela compartilhou como a internauta estava respondendo suas publicações. “Seu peito ficou muito pequeno com esse vestido” e “o peito é bem pequenininho” foram alguns exemplos.

• “Pega de surpresa”, diz ex de empresário flagrado com Flávia Pavanelli
• Flávia Pavanelli é acusada de estelionato
• Flávia Pavanelli e Gkay prestigiam festa de Franciny Ehlke e Adriana Restum

Flavia printou as mensagens e desabafou: “Sério isso? Quase em 2020???”. “Quando vamos nos unir mais, mulherada? Vamos parar de querer que os outros sejam como você gostaria”, completou.

Na sequência, a digital influencer compartilhou um texto sobre autoestima. “Se a sua sinceridade afeta a autoestima alheia, cale-se! Se a sua opinião é desmotivadora, cale-se! Se sua crítica construtiva diminui alguém, cale-se! Verdades sem empatia são uma necessidade egoísta de gritar o pior dos outros”, dizia o post.

Confira o print abaixo:

Reprodução/Instagram

Veja também

+ Cantora MC Venenosa morre aos 32 anos e família pede ajuda para realizar velório
+ Homem salva cachorro da boca de crocodilo na Flórida
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
+ Idoso morre após dormir ao volante e capotar veículo em Douradoquara; neto ficou ferido
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel