Fiocruz/AstraZeneca é um fiasco. Desculpe-se e agradeça João Doria, Bolsonaro

Crédito: Mateus Bonom/Antonio Molina

(Crédito: Mateus Bonom/Antonio Molina)


Em agosto do ano passado, Bolsonaro, o devoto da cloroquina, e seu desgoverno homicida simplesmente ignoraram 70 milhões de doses da vacina mais utilizada no mundo atualmente contra o coronavírus; a Comirnaty, do consórcio Pfizer-Biontech. O motivo? Bem, só ele e o general sabujo que lhe servia no Ministério da Saúde podem dizer. O máximo que sabemos é do seu receio de nos tornarmos jacarés.

Também no ano passado, o maníaco do tratamento precoce recusou 60 milhões de doses da vacina CoronaVac, fabricada pelo laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan, de São Paulo. O motivo, dessa vez, foi outro: político. O amigão do Queiroz preferiu potencialmente ajudar a matar milhares de brasileiros a assistir seu desafeto, João Doria, ser reconhecido como um governante sábio e eficiente.

Além disso, o pai do senador das rachadinhas e da mansão de 6 milhões de reais boicotou ao máximo o registro, a importação, fabricação e distribuição do imunizante adquirido pelo governador de São Paulo. Mesquinho e mentiroso, Bolsonaro comemorou e espalhou notícias falsas, que atribuíam à “vachina chinesa do Doria” responsabilidade por mortes, anomalias e invalidez, e até mesmo por um suicídio.

Negacionista, omisso e incapaz, o marido da receptora de cheques de milicianos apostou todas as fichas na vacina de Oxford, produzida pela AstraZeneca em associação, no Brasil, com a Fiocruz, do Rio de Janeiro, e quebrou a cara, ou melhor, quebrou a nossa cara, já que, passados quatro meses, o laboratório praticamente não entregou as doses prometidas, deixando nossos braços no vácuo.

Hoje, de cada 10 vacinas aplicadas, 8 são do Butantan. Não fosse a diligência do governador paulista, que ainda no começo da pandemia, em 2020, viajou à China e acertou a parceria redentora, enquanto o psicopata Bolsonaro promovia arruaça golpista e aglomeração irresponsável Brasil afora, não teríamos vacinado quase ninguém. Ainda assim, João Doria é demonizado e hostilizado pelos bolsonaristas.

Humildade e dignidade, além de tantas outras qualidades comuns a pessoas com bons modos e princípios, sabemos que o presidente da República não tem. Igualmente, sabemos que a seita fanática que lhe lambe as botas comunga dos mesmos valores e ideais sub-reptícios. Assim, na falta de reconhecimento desta espécie de bichos, façamos nós, os justos, a nossa parte: parabéns, João Doria!

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Deputado dos EUA sugere mudar órbita da Lua para combater aquecimento
+ Ex-parceiro de Cristiano Araújo é encontrado morto
+ Policial militar mata a tiros quatro pessoas em pizzaria de Porto Alegre
+ Sérgio Mallandro diz que atrapalhou sexo de Xuxa com Ayrton Senna
+ Mano Brown se irrita com possível acerto do Santos com volante do Corinthians: ‘Tá tirando’
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


Sobre o autor

Ricardo Kertzman é blogueiro, colunista e contestador por natureza. Reza a lenda que, ao nascer, antes mesmo de chorar, reclamou do hospital, brigou com o obstetra e discutiu com a mãe. Seu temperamento impulsivo só não é maior que seu imenso bom coração.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.