ISTOÉ Gente

Figurinista irá processar Rafael Ilha pelo crime de homofobia: “Me chamou de viadinho”

Crédito: Reprodução/Instagram

'Não participou', diz advogado de Rafael Ilha ao recorrer em condenação (Crédito: Reprodução/Instagram)


Em breve Rafael Ilha irá enfrentar problemas judiciais. O cantor e apresentador será processado pelo figurinista Anderson Oliveira Sodré pelo crime de homofobia.

Mais de Rafael Ilha

+ ‘Sei o que aconteceu’, diz Rafael Ilha sobre morte de Gugu Liberato
+ ‘Usei drogas na frente dela’, relembra Rafael Ilha quando namorava Cristiana Oliveira
+ “Virei soldado do tráfico”, relembra Rafael Ilha na TV
+ Tiago Salvático fala sobre um ano da morte de Gugu: “Era minha alma gêmea’

Para a coluna de Fábia Oliveira, do jornal O Dia, Anderson falou sobre o caso: “Rafael gravou um vídeo e postou no Instagram comemorando a saída de Carol Narizinho do reality show ‘Fazenda 12’. Ele chamou a ex-panicat de planta e simbolicamente jogou uma folha morta e seca em seu vaso sanitário, referindo à postura da modelo dentro de jogo. Eu incomodado com aquilo e comentei na foto dizendo que ele não deveria agir assim”, disse.

E continuou: “Meia hora após, ele enviou uma mensagem me xingando de monstrinho e uma série de ofensas pessoais. Ele alegou que eu faço programa, quando isso não é verdade. Tentei responder, mas fui bloqueado por ele. Em seguida, ele apagou o comentário, mas eu printei. Na sequência, recebi uma ligação dele dizendo ‘escute aqui, viadinho. Quem é você? Estou na mídia há muito tempo. Isso é briga de peixe grande. Não comente meus posts’. Retornei a ligação e soube que se tratava de um celular de sua produção e me bloqueou”, concluiu o figurinista.
Anderson contou que abriu um boletim de ocorrência na Delegacia de Suzano e acionou um advogado que dará andamento no processo.
Também para a colunista, Ilha disse: “Simplesmente me chamou de traficante, de nóia na publicação e eu respondi no privado dele. Foi uma resposta às ofensas dele”.