Esportes

Conselho da Fifa aprova Copa do Mundo de 2022 com 48 seleções

Conselho da Fifa aprova Copa do Mundo de 2022 com 48 seleções

Presidente da Fifa, Gianni Infantino RHONA WISE / AFP

O Conselho da Fifa aprovou o plano de ampliar a Copa do Mundo de 2022 para 48 seleções. Em Miami, o presidente Gianni Infantino anunciou nesta sexta-feira que a entidade deve trabalhar ao lado do Catar para explorar a possibilidade de expandir o torneio, disputado atualmente por 32 equipes.

Com a aprovação do Conselho, a Fifa agora irá organizar uma proposta formal ao lado do Catar para ser apresentada no próximo congresso da entidade, que será realizado em junho, em Paris. Nele, os 211 países filiados votarão se o projeto deve ou não sair do papel.

“Nossa missão é seguir desenvolvendo o futebol e seguir melhorando sua qualidade, por isso queremos aumentar para 48 equipes”, defendeu Infantino em coletiva de imprensa.

“Conhecemos a situação da região. O Catar está aberto a essa opção (de ampliar a Copa do Mundo) e veremos o que se pode fazer. Exploraremos as possibilidades e um junho haverá uma proposta ao Congresso”, continuou o mandatário.

A Fifa também validou o uso do assistente de vídeo (VAR) na Copa do Mundo de futebol feminino da França-2019 (7 de junho-7 de julho). o VAR foi usado pela primeira em uma grande competição internacional na Copa do Mundo da Rússia, no ano passado.

o Conselho da entidade também decidiu pela ampliação do formato do Mundial de Clubes, que a partir de 2021 será disputado por 24 equipes e substituirá a Copa das Confederações no calendário internacional.

“Teremos em 2021 uma verdadeira Copa do Mundo de Clubes, que sem dúvida terá um impacto fantástico no futebol dos clubes de todo o mundo”, garantiu Infantino.

A Uefa questiona fortemente a ampliação do Mundial de Clubes, temendo que esta competição ameace à Liga dos Campeões e sobrecarregue o calendário.

Os clubes europeus entregaram uma carta a Infantino antes da reunião do Conselho da Fifa, afirmando que boicotariam o Mundial de Clubes caso o novo formato fosse aprovado, informou um porta-voz da Associação Europeia de Clubes (ECA), entidade que reúne todos os principais clubes do Velho Continente.

 

eba/cl/am