Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) anunciou nesta sexta-feira em um comunicado que decidiu “encerrar o processo disciplinar” que havia iniciado contra o Equador pelo caso de uma possível escalação irregular de Byron Castillo, sem indicar qualquer sanção.

O processo disciplinar havia sido aberto em meados de maio, após a denúncia da Federação Chilena de Futebol, e fez o Equador temer nas últimas semanas por sua presença na Copa do Mundo-2022 (21 de novembro a 18 de dezembro), para a qual conseguiu sua classificação e na qual está no grupo A, juntamente com o anfitrião Catar, Holanda e Senegal.

“O Comitê Disciplinar da Fifa tomou uma decisão sobre a possível violação por Byron David Castillo Segura dos critérios de convocação para participar com a seleção nacional da Federação Equatoriana de Futebol (FEF) em oito partidas classificatórias, correspondentes à fase preliminar da Copa do Mundo da Fifa Catar-2022”, explicou a Fifa no início de seu texto.

“Depois de analisar toda a documentação recebida das partes, o Comitê Disciplinar da Fifa decidiu encerrar o processo disciplinar instaurado contra a FEF”, apontou.

A Fifa destacou que a decisão foi notificada nesta sexta-feira às partes afetadas e que já está aberto o prazo para possíveis recursos.

“De acordo com o Código Disciplinar da Fifa, as partes têm dez dias para solicitar uma decisão fundamentada, que, se solicitada, seria publicada em legal.fifa.com. Esta decisão pode ser recorrida junto ao Comitê de Apelação da Fifa”, disse ele.

A denúncia da Federação Chilena de Futebol à Fifa foi por “uso de certidão falsa, declaração falsa de idade e nacionalidade falsa” de Byron Castillo (23 anos), considerando que ele nasceu na Colômbia.

A Federação Equatoriana de Futebol (FEF) rejeitou as acusações e garantiu em comunicado que Castillo está “devidamente registrado na autoridade legal competente” e que tem “toda a documentação nacional em ordem”.

A Federação Chilena que vai recorrer da decisão da Fifa. “Vamos esperar a fundamentação da decisão e posteriormente recorrer dessa decisão (…) e posteriormente realizar todos os processos que correspondem ao nível legal e ao nível do Tribunal de Arbitragem Esportivo”, disse Pablo Milad, presidente da federação chilena, em coletiva de imprensa.

bur-dr/mcd/aam