Esportes

Fifa abre processo disciplinar em caso de equatoriano acusado pelo Chile de falsidade ideológica


A Fifa anunciou nesta quarta-feira a decisão de abrir um processo disciplinar em relação à “possível inelegibilidade” do lateral-direito Byron Castillo, que jogou as Eliminatórias Sul-Americanas pelo Equador e foi acusado pela Federação de Futebol do Chile (FFCh) de supostamente ter mentido sobre sua idade e nacionalidade.

+ ‘Comi todo mundo no Rio, São Paulo, Nova York e Paris’, diz Maria Zilda
+ Motorista de aplicativo cancela corrida por causa da roupa da passageira e alega: ‘Não levo petista’
+ Após aumento, defasagem do diesel cai para 10%; gasolina fica em 17%

A FFCh apresentou na semana passada uma denúncia na Fifa contra Castillo pelo “uso de certidão de nascimento falsa, falsa declaração de idade e falsa nacionalidade”, alegando que o jogador, na verdade, nasceu na Colômbia.

Em comunicado, a Federação Equatoriana de Futebol (FEF) rechaçou as acusações e afirmou que Castillo está “devidamente inscrito na autoridade legal competente” e conta com “toda a documentação nacional em ordem”.

“A FFCh apresentou uma denúncia na Comissão Disciplinar da Fifa, na qual fez uma série de alegações sobre a possível falsificação de documentos que concedem a nacionalidade equatoriana ao jogador Byron David Castillo Segura, bem como a possível inelegibilidade do referido jogador para participar de oito partidas das Eliminatórias pela seleção do Equador”, explica a Fifa em comunicado.

“A Fifa decidiu abrir um processo disciplinar em relação à potencial inelegibilidade de Byron David Castillo Segura em relação às partidas mencionadas. Nesse contexto, a FEF e a Associação Peruana de Futebol foram convidadas a apresentar suas posições ao Comitê Disciplinar da Fifa. Mais detalhes serão publicados oportunamente”, conclui a nota.

Castillo atualmente é jogador do Barcelona de Guayaquil e, nos oito jogos em que esteve em campo nas Eliminatórias, a seleção equatoriana conquistou 14 pontos.

Caso a Fifa acolha a denúncia chilena, o Equador pode perder esses pontos e cair da quarta colocação, que dá vaga direta na Copa do Mundo, para a lanterna da competição.

Por sua vez, o Chile, que foi o sétimo colocado, seria o maior beneficiado, já que somaria cinco pontos e subiria para quarto com a mesma pontuação do Peru – mas com melhor saldo de gols.

Na América do Sul, os classificados para o Mundial do Catar foram Brasil, Argentina, Uruguai e Equador, com o Peru indo para a repescagem contra um representante da Ásia, que será disputada em junho.

No sorteio da Copa do Mundo, o Equador caiu no Grupo A com o anfitrião Catar, Holanda e Senegal.

– Chile espera decisão rápida da Fifa –

 

Depois do anúncio da abertura do processo disciplinar, a FFCh se manifestou através de seu advogado, Eduardo Carlezzo, que espera que a Fifa apresente uma decisão sobre o caso nos próximos 30 dias.

“A Fifa vai agir muito rapidamente, porque a Fifa também está interessada em decidir o mais rápido possível. A incerteza antes da Copa do Mundo não interessa a ninguém; decidir rapidamente, tenho certeza de que será uma decisão da Fifa”, disse Carlezzo.

Segundo o jurista, dentro de 10 dias o Equador deve apresentar seus argumentos e depois disso o órgão deverá proferir um primeiro veredito. “Em 30 dias já poderíamos ter uma decisão da Comissão Disciplinar”, especificou.

Além disso, o Chile pede a suspensão de Castillo como jogador profissional e a exclusão da seleção equatoriana da Copa do Mundo de 2026, que será organizada por Estados Unidos, México e Canadá.

“A Federação (equatoriana) claramente tem responsabilidade total e objetiva, porque sabia desses fatos há muitos anos (…) e, portanto, assumiu o risco de convocá-lo e agora entendo que ele deve sofrer as consequências”, acrescentou Carlezzo.

psr/mar/cb