Brasil

FHC: ‘Comissão era ato reparador’

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que espera que a Comissão de Mortos e Desaparecidos não se transforme em um instrumento “de vinganças antidemocráticas”.

Em sua conta no Twitter, FHC lembrou que a comissão foi criada no seu governo como um “ato reparador”. “A Comissão de Mortos e Desaparecidos, 1995, não foi revanche. Era ato reparador de sofrimento a pessoas e famílias tendo o Estado como responsável. Dele publicou-se foto de um general abraçado à esposa de uma vítima. Paz, não ódio. Corrijam-se excessos, sem vinganças antidemocráticas”, escreveu o ex-presidente um dia depois de Jair Bolsonaro trocar quatro dos integrantes da comissão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.