Economia

Fenaj critica fim da exigência de registro profissional de jornalistas em MP

O diretor da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Antonio Paulo dos Santos, alegou nesta quinta-feira, 13, que a Medida Provisória 905, que cria o contrato de trabalho Verde Amarelo para o primeiro emprego de jovens de 18 a 29 anos, precariza o trabalho jornalístico, ao acabar com a exigência de registro profissional para o exercício da atividade. A MP também extingue a exigência de registro em outras profissões, como publicitários, radialistas, químicos e arquivistas.

“A extensão da jornada de trabalho dos setores de comércio e serviços para os fins de semana também prejudica os jornalistas”, argumentou o diretor, em audiência pública na comissão mista da medida provisória.

Santos também alegou que a criação do regime de contrato Verde Amarelo seria inconstitucional.

Ele lembrou que diversas entidades de classe dos trabalhadores foram ao Supremo Tribunal Federal (STF) questionar a medida.

“A MP cria outra categoria de trabalhadores, que não terão os direitos preservados como na Constituição, e não estarão em igualdade com os outros empregados das empresas”, afirmou o diretor da Fenaj.


+ Advogada é morta e tem corpo carbonizado no Rio de Janeiro
+ Morre Liliane Amorim, influencer de Juazeiro do Norte, após complicações da realização de lipoaspiração

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ 7 tendências de design de interiores que vão bombar em 2021
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel