Esportes

Federação italiana de futebol quer concluir temporada, mesmo que seja em agosto

O presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC) disse na quarta-feira que deseja que a temporada da Série A do campeonato italiano continue, mesmo que termine em agosto.

“Faremos tudo o que pudermos para terminar o campeonato, se necessário, pediremos à Uefa e à Fifa que passe de 30 de junho, com jogos em julho ou agosto”, disse Gabriele Gravina à Radio Marte.

“É prematuro pensar em uma data, mas devemos permanecer otimistas, inclusive com a saúde dos italianos”, acrescentou.

Todos os esportes na Itália foram suspensos até 3 de abril devido à pandemia do novo coronavírus, que também forçou o adiamento da Euro 2020 e das Olimpíadas de Tóquio.

Na semana passada, o presidente da FIGC disse que esperava o retorno do Campeonato Italiano no fim de semana de 2 de maio.

Uma reunião entre representantes da liga italiana, FIGC, sindicato dos jogadores, treinadores e governo está prevista para quinta-feira para fazer uma avaliação.

Gravina descartou a possibilidade de cancelar o Campeonato Italiano ou atribuir o título ao líder da classificação quando a temporada foi suspensa, a Juventus Turin.

“Isso levaria a um cenário desagradável. Continuarei a rejeitar essas opções pelo maior tempo possível”, afirmou.

ea/dj/ybl/roc/erl/lca

JUVENTUS FOOTBALL CLUB

Veja também

+ Maria Zilda relembra como soube que Ary Fontoura era gay: “A coisa mais incrível que já ouvi”
+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior