Geral

Família exige resposta para morte de mulher que caiu de cobertura em Belo Horizonte

Crédito: Reprodução/Record TV

Na última segunda-feira (25), familiares e amigos da administradora de imóveis Hilma Balsamão, que morreu ao cair da cobertura de um prédio em Belo Horizonte, Minas Gerais, realizaram um ato cobrando respostas para o caso.

Os parentes fizeram um minuto de silêncio em memória da vítima e, em seguida, soltaram balões. Hilma morreu no fim de novembro e as investigações, que ainda estão em andamento, completaram dois meses recentemente.

“O que nós estamos fazendo aqui e estamos esperando após 60 dias é uma resposta. É isso que a família e todos nós queremos. Seja qual for, que a verdade apareça”, afirmou Mauro Filho, irmão da vítima.

Balsamão morreu após cair de uma altura de aproximadamente 15 metros, no dia 20 de novembro do ano passado, em uma cobertura no bairro Castelo. Ela participava de uma festa no apartamento do empresário Gustavo Veloso, dono do imóvel.

Excelsa Balsomão, mãe da administradora de imóveis, espera respostas para o caso. “Nós estamos destruídos, ninguém conseguiu levar a vida para frente normalmente, não tem como. Enquanto não soubermos o que aconteceu realmente, não tem jeito de tocar a vida”, concluiu.

Saiba mais
+ Mãe de Medina compara Yasmin Brunet a ‘atriz pornô’ e colunista divulga conversa
+ Chamada de atriz pornô, Yasmin Brunet irá processar mãe de Gabriel Medina
+ Mulher divide marido com mãe e irmã mais nova: ‘Quando não estou no clima’
+ Em pose sexy, Cleo Pires afirma: "Amando essa minha bunda grande"
+ Médicos encontram pedaço de cimento em coração de paciente durante cirurgia
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio