Economia

Exterior negativo pressiona Ibovespa; Eletrobras no TCU é destaque

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) – O principal índice da bolsa brasileira caía nesta quarta-feira, após cinco sessões de alta seguidas, diante do recuo em Wall Street e na Europa.


Vale e setor financeiro arrastavam o índice para baixo, enquanto a Eletrobras também cedia antes de retomada de discussões sobre a privatização da companhia no Tribunal de Contas da União (TCU). Na ponta positiva, Hapvida recuperava-se parcialmente do tombo da véspera, depois de anunciar recompra de ações.

Às 11:36 (de Brasília), o Ibovespa caía 1,15%, a 107.539,95 pontos. O volume financeiro era de 6,6 bilhões de reais. O dia é de vencimento de opções sobre o Ibovespa.

Na visão de Camila Abdelmalack, economista na Veedha Investimentos, o mercado segue “refém” das notícias sobre a alta de juros nos Estados Unidos e o noticiário sobre a Covid-19 na China.

Os principais índices de ações norte-americanos cediam, com o S&P 500 recuando 2%. Na Europa, as praças também registravam queda após leitura forte de inflação no Reino Unido.

O diretor de política monetária do Banco Central, Bruno Serra, disse em evento da Câmara Espanhola de Comércio no Brasil que a autoridade monetária espera estar chegando ao fim do atual ciclo de aperto, embora essa expectativa ainda dependa de dados. Ele destacou, entretanto, que o BC tem capacidade de subir mais um pouco o juro caso seja necessário devido à alta do juro global.

O presidente do BC, Roberto Campos Neto, e o ministro Paulo Guedes, da Economia, falam em evento paralelo sobre descarbonização, promovido por Banco do Brasil e Petrobras.

Além disso, o front político tem cautela elevada depois que o presidente Jair Bolsonaro ingressou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da corte Alexandre de Moraes, alegando abuso de autoridade.

DESTAQUES

– VALE ON cedia 2,2%, após os contratos futuros do minério de ferro em Dalian caírem 5,3%, diante de cautela com os riscos das restrições contra a Covid-19 na China às perspectivas de crescimento econômico do país asiático. GERDAU PN perdia 2,7%, em sessão negativa para siderúrgicas.

– BRADESCO PN apontava queda de 1,5%, liderando baixa entre grandes bancos, exceção a BANCO DO BRASIL ON, que subia 0,2% após os analistas do Itaú BBA reiterarem o papel como seu preferido entre aqueles do setor.

– ELETROBRAS PN diminuía 2,2%. A retomada da discussão sobre a privatização da companhia está na pauta do TCU, após pedido de vistas por ministro Vital do Rêgo em abril. O processo deve avançar na corte, segundo jornais, incluindo O Globo e a Folha de S.Paulo.

– HAPVIDA ON subia 5,7% diante de aprovação de novo programa de recompra de ações pelo grupo de saúde. Na véspera o papel tombou quase 17%, na sequência de resultados do primeiro trimestre.

– FLEURY ON tinha alta de 1,5%, depois de anunciar a criação de uma empresa de oncologia em parceria com a Beneficência Portuguesa e uma controlada indireta do Bradesco.

– INTER UNIT retraía 6,3%, após seis sessões de ganhos consecutivas.

– PETROBRAS PN tinha baixa de 0,3%, enquanto o preço do petróleo operava próximo da estabilidade. PETRORIO ON desvalorizava-se 3,4% e 3R PETROLEUM ON recuava 2,5%.

– LOCAWEB ON disparava 8,7%, estendendo movimento da véspera e marcando a quarta alta nas últimas cinco sessões.

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI4H0WJ-BASEIMAGE





Tópicos

Updated