Ediçao Da Semana

Nº 2741 - 05/08/22 Leia mais

Por Steve Gorman

(Reuters) – Um peculiar monumento de granito que alguns apelidaram de “Stonehenge da América”, mas um político conservador apontou como “satânico”, foi demolido na quarta-feira por autoridades no Estado norte-americano da Geórgia horas depois de ter sido fortemente danificado em uma explosão provocada por vândalos.

Investigadores de várias agências de segurança convergiram para o local a 161 km a leste de Atlanta em busca de pistas sobre a explosão antes do amanhecer que deixou parte do monumento de 42 anos, chamado Georgia Guidestones, em pedaços.

Mais tarde, o Georgia Bureau of Investigation (GBI) publicou no Twitter um vídeo da explosão capturado pela câmera de vigilância e imagens separadas de um carro se afastando do local.

O órgão disse que o restante da estrutura foi deliberadamente demolido no mesmo dia “por razões de segurança”, com uma foto mostrando todo o monumento reduzido a escombros. O dano inicial foi atribuído a “indivíduos desconhecidos” que “detonaram um dispositivo explosivo” no local.

Antes de ser vandalizado, o monumento consistia em uma laje vertical no centro de quatro tabuletas dispostas em torno dela, com uma grande pedra retangular colocada sobre elas.

A coleção de monólitos cinzas foi erguida em 1980 no meio de um grande campo perto da cidade de Elberton, na Geórgia, e listada como atração turística pelo site de viagens do Estado e pela Câmara de Comércio do Condado de Elbert.

As lajes foram gravadas com uma mensagem enigmática em 12 idiomas pedindo a preservação da humanidade ao limitar a população mundial a menos de meio bilhão de pessoas para viver “em equilíbrio perpétuo com a natureza”, segundo traduções oficiais do texto.

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI660N9-BASEIMAGE