Geral

Exército e Justiça autorizam doação de 60 fuzis apreendidos para polícia do Rio


O gabinete de intervenção federal entregará para a Polícia Civil do Rio 60 fuzis apreendidos no ano passado, no Aeroporto Internacional do Galeão. A ação, anunciada nesta quinta-feira, 28, faz parte das medidas emergenciais promovidas pelo Gabinete de intervenção federal no Rio.

Os fuzis foram apreendidos pela própria Polícia Civil, em junho do ano passado. Ela foi considerada a maior apreensão em pelo menos dez anos. As armas eram novas e estavam com numeração raspada, chegadas de Miami, em dois voos. Estavam escondidas no interior falso de aquecedores para piscinas, dentro de um contêiner.

A doação foi autorizada pela Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército Brasileiro, com parecer favorável da 8ª Vara Federal Criminal. Segundo o comando da intervenção, todos os fuzis passaram por testes “para que fosse assegurado o correto funcionamento e condições de segurança do atirador, estando todos em perfeitas condições”.

Os fuzis – 15 modelo AR-10 e 45 modelo AK-47 – foram apreendidos por policiais da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) e da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). A apreensão decorreu de uma investigação que durou dois anos.


+ MS: Homem que revelou amante pouco antes de ser intubado deixa UTI-covid
+ Ratinho critica Dudu Camargo: ‘Só o Silvio gosta dele’



Veja também

+ Receita de bolinho de costela com cachaça
+ Descoberta no deserto do Kalahari leva a revisão da origem humana
+ Receita de panqueca americana com chocolate
+ Receita rápida de panqueca de doce de leite
+ Contran prorroga prazo para renovação da CNH
+ Vídeo: o passo a passo de como fazer ovo de Páscoa
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Sucuris gigantes são flagradas em expedições de fotógrafos no MS