Geral

Ex-morador de rua tira 920 na redação do Enem e afirma que estudou pelo YouTube

Crédito: Arquivo Pessoal

O ex-morador de rua Alexandre Camilo da Silva, de 55 anos, largou o envolvimento com as drogas e conseguiu tirar 920 na redação do Enem 2020. A reviravolta na vida do homem começou há dois anos, quando ele resolveu se tratar do vício e começou a se dedicar aos estudos.

Em entrevista ao UOL, Alexandre falou sobre a periodicidade de consumo das drogas. “Foi se intensificando, principalmente depois de problemas de relacionamento. Me afastei do mercado de trabalho e da minha profissão”, contou.

Com muitos problemas, ele resolveu tentar a vida em Fortaleza, no Ceará. “Vim para o Nordeste para trabalhar em outra área (turismo), mas o trabalho não estava dando certo e fui para Fortaleza. Terminei na rua. Foram nove meses até que decidi mudar de vida em 2019”, explicou.

Desde então, Camilo se juntou a um projeto social de Teresina, no Piauí. Na cidade, ele ainda casou-se e chegou a lançar um livro de poesias, denominado apenas como “Poesias”.

Alexandre já era formado em biologia e tem até mestrado, mas agora almeja ingressar no curso de letras. “Estudei basicamente pelo YouTube. Sempre me mantive estudando e escrevendo. Quando chegou a nota, me surpreendi, mas não muito porque me preparei bem”, finalizou.

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

Veja também
+ Dublê de 28 anos morre ao tentar recorde com manobra de moto
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago