ISTOÉ Gente

Ex de Ayrton Senna se culpa por boatos de que piloto era gay

Crédito: Reprodução/Instagram

Adriane Yamin, ex-namorada de Ayrton Senna, escreveu um livro recentemente, falando sobre o romance que viveu com o piloto. A obra chamada ‘Minha Garota’ (independente) foi lançada no fim do ano passado.

A garota concedeu entrevista ao UOL e falou sobre o namoro com o ex-piloto, que sempre se manteve em segredo. O motivo? Adriane era menor de idade e não podia ser exposta. Ela conta que a intenção de protegê-la fez com que surgissem boatos de que Senna fosse homossexual.

“Ele não aparecia com ninguém porque estava comigo. E não podia aparecer com outras mulheres para eu não saber. Esse veneno [sobre Senna ser gay] foi jogado para desestruturá-lo e eu me sentia muito culpada. Ele estava sendo caluniado por minha causa. As pessoas até me perguntam, ‘é verdade que ele era gay?’. Foi um boato nascido por minha culpa e ele aceitou. Isso fazia mal para ele. Sempre soube que algum dia eu teria que contar essa história”, afirmou.

Veja também: 
Ex-mulher de goleiro Jean posta foto com filhas e diz: “Desesperada”
Mel Maia, de 15 anos, expõe comentário abusivo de homem casado na web

No livro escrito por Adriane, ela relata uma das maiores decepções da relação, logo após perder a virgindade com Senna. Ela conta que o namorado não a procurou e que ele sugeriu que ela tinha mentido sobre ser virgem.

“Eu tinha sido absolutamente correta. Duvidar de mim foi extremamente ofensivo. Era algo que eu estava guardando há tanto tempo. Eu não poderia prever a frieza com que seria tratada em seguida. Um namorado querido, romântico, atencioso e de repente… Parecia que era outra pessoa. Não acho que ele fez por mal, mas porque não soube lidar com a situação”, diz o trecho escrito por Adriane.