Cultura

Ex-BBB faz provocações no livro ‘Como Essa Calopsita Veio Parar no Brasil?’

João Luiz Pedrosa ganhou notoriedade após sua participação no Big Brother Brasil 21. O mineiro é professor de Geografia formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais, e também pesquisador da Universidade Federal de Viçosa.

Nove meses depois do fim do BBB 21, João lança o livro Como Essa Calopsita Veio Parar no Brasil?, pela editora HarperCollins, no dia 29 de janeiro. A pré-venda da publicação está disponível no site da Amazon.


“Sempre comentei, nas aulas e no dia a dia, que a gente consegue enxergar a Geografia em todo lugar que a gente olha. Pensei em pegar diversas experiências em minha vida e em sala de aula e explicar isso de uma forma mais simples”, afirma João Pedrosa, em entrevista ao Estadão.

O principal objetivo do professor é explicar, de forma lúdica, curiosidades sobre mudanças climáticas, meio ambiente, questões territoriais, mas não só.

O livro do ex-BBB é recheado de provocações políticas atuais, como os capítulos A Terra Não É Plana! e A África Não É um País.

“O título A Terra Não É Plana!, com exclamação, pois é uma afirmação e não pergunta, é para gente não ter dúvidas mesmo. Eu mostro evidências científicas de que a Terra não é plana. Discuto o negacionismo e os movimentos antivacinas também, porque eles fazem parte de um negacionismo que está se disseminando no País de forma bizarra”, ressalta João, lembrando que fake news são propagadas através de falas de personalidades e políticos.

Sobre A África Não É um País, o professor convida o leitor a uma reflexão pouco discutida em salas de aula no Brasil e tenta desconstruir o senso comum, carregado de racismo estrutural histórico.

“No currículo escolar, a gente tem sessões e mais sessões onde falamos da cultura europeia e praticamente um capítulo falando de Geografia da África. E eu perguntava para meus alunos qual visão eles tinham. E aí sempre vinham palavras que representam os maiores estereótipos, fome, pobreza, doença, safári, animais. Então, eu buscava uma imagem de Luanda totalmente iluminada à noite e falava que aquilo é na África. Tem muita coisa acontecendo no continente”, ressalta.

No BBB 21, João Luiz Pedrosa foi até a reta final do Big Brother Brasil 21. O professor de Geografia foi eliminado faltando apenas 12 dias para o fim do reality. “Tem uma coisa sobre o BBB que ninguém conta: não adianta você ir com nada planejado. Não adianta! É um programa com pessoas diferentes de você, com dinâmicas diferentes e ele irá te forçar a ser você mesmo”, avalia.

O mineiro afirma que as câmeras estão espalhadas por toda a casa e são até visíveis para os participantes. Sobre a amizade com Camilla de Lucas, companheira de jornada, João garante que continuou fora da casa: “A gente sempre se fala, todo o dia praticamente, a verdade é essa (risos). A gente já viajou juntos, vai um na casa do outro, essas coisas”.

O professor de Geografia considera que aprendeu algo importante durante a permanência no reality. “O que levo do BBB para a vida é que a gente precisa se abrir mais para conversar com pessoas diferentes de nós mesmos. Às vezes, a pessoa que parece ser mais diferente de você é com quem você vai se dar melhor. Então, é preciso sair um pouco das nossas bolhas, sabe?”, reflete.

João conta que, depois de eliminado do programa, assistiu apenas a trechos dos episódios. “Eu não tenho nenhum grande arrependimento, então, o que eu fui vivendo lá dentro foi o que o público viu. E não fiquei vendo porque não estava afim. Prefiro ficar com o lado positivo do que vivi no programa e não o negativo. A gente está dentro de um reality show e ele não é um resumo da nossa vida, é apenas uma parte dela”, conclui.

Futuro

Após a divulgação do livro Como Essa Calopsita Veio Parar no Brasil?, o ex-BBB planeja escrever mais obras, como publicações para o público infantil, e quer investir mais na carreira como comunicador. Atualmente, apresenta um programa no Globoplay e no canal Multishow. “Estou me aventurando nesse novo mundo e estudando bastante para me consolidar no que quero fazer. E não quero abandonar minha discussão sobre educação. No programa, por exemplo, discuto cultura afro urbana e sempre falo a respeito nas minhas redes sociais. Não adianta só rolar o feed e não pensar sobre tudo o que está acontecendo no mundo, sabe?”, pondera.

Sobre o Big Brother Brasil 22, João Luiz Pedrosa está ansioso: “Assisto há anos. Inclusive estou superansioso para ver quem está participando. Agora como espectador, mas com uma perspectiva diferente, porque já estive lá”, finaliza.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.